MENU
Menu
Início Fiat Palio brasileiro se aventurou até a Europa de navio e conquistou o coração de um admirador de automóveis

Fiat Palio brasileiro se aventurou até a Europa de navio e conquistou o coração de um admirador de automóveis

06/05/2024 às 11:17
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
fiat - palio - Europa - argo - strada - mobi
Lucas Toledo, 32, é o brasiliense dono de Fiat Palio que mora em um vilarejo, em Nuremberg, desde 2018 — Foto: Lucas Toledo/Acervo pessoal

Fiat Palio, o clássico amado pelos brasileiros, foi comprado novo em 2006 por uma importadora contratada pela Shell para analisar o desempenho do motor flex, uma tecnologia inovadora na época no Brasil

Como o Fiat Palio se aventurou de navio até a Europa e conquistou um admirador de automóveis? Confira a seguir essa história inusitada. Produzido em Betim, Minas Gerais, o hatch brasileiro foi comprado por uma importadora alemã em 2006 e acabou esquecido em uma concessionária até ser descoberto por um brasileiro.

A presença na Alemanha do Fiat Palio, esse hatch tipicamente brasileiro, desperta curiosidade. Afinal, como ele foi parar lá? Continue lendo e confira essa inusitada história!

Artigos recomendados

Como o hatch brasileiro foi parar na Alemanha?

Fiat Palio brasileiro estava à venda em uma loja de um Turco

Lucas Toledo, aos 32 anos, natural de Brasília (DF), viveu a maior parte de sua vida no Brasil. Em 2018, mudou-se para uma pequena vila perto de Nuremberg, na Baviera, em busca de oportunidades de trabalho. Casou-se com uma alemã e foi empregado pela DHL, renomada companhia de entregas.

Em sua busca por um novo “brinquedo”, Lucas encontrou um anúncio de um Fiat Palio brasileiro disponível na região. Embora a Alemanha seja repleta de veículos excêntricos e cobiçados, o hatch mineiro chamou sua atenção, levando-o a adquiri-lo.

“O carro estava parado em uma revenda de um turco. Os locais mal notavam, confundindo-o frequentemente com um Fiat Panda europeu”, revelou. Lucas fez uma oferta simples e adquiriu o carro latino-americano por 2,3 mil euros (aproximadamente R$ 12,4 mil), enfrentando alguns problemas com o motor Fire.

Esse clássico amado pelos brasileiros, foi comprado novo em 2006 por uma importadora contratada pela Shell

Com o Palio agora em sua garagem, Lucas dedicou-se a rastrear a origem do carro desde a fábrica em Betim (MG). Ele descobriu que o veículo foi comprado novo em 2006 por uma importadora contratada pela Shell em uma concessionária Itavema em São José dos Campos (SP). Parece que o objetivo da filial alemã era analisar o desempenho do motor flex, uma tecnologia inovadora na época no Brasil.

Funcionários da Shell receberam o pequeno hatch em Hamburgo. Junto ao Palio, estava um Volkswagen Gol Total Flex com a mesma finalidade. Com a documentação regularizada, a empresa começou os testes.

fiat-palio
Lucas Toledo, 32, é o brasiliense dono de Fiat Palio que mora em um vilarejo, em Nuremberg, desde 2018 — Foto: Lucas Toledo/Acervo pessoal

Fiat Palio permaneceu à venda por sete anos e quase virou sucata

O propósito exato dos testes é incerto. Após seu uso pela Shell, o Palio foi vendido a uma senhora alemã que raramente o utilizava. O carro permaneceu à venda por sete anos até ser comprado por Lucas em 2023, com apenas 27.300 km rodados (atualmente, possui 30.000 km). “Estava quase sendo descartado, o que normalmente acontece com modelos nacionais importados para cá”, lamentou o entusiasta.

Devido aos rigorosos testes e ao longo período de inatividade, o motor necessitava de diversos reparos. Lucas precisou retificar o cabeçote e substituir juntas e correias. Felizmente, encontrar peças para o motor Fire na Europa é tão simples quanto no Brasil.

Outros carros brasileiros também fazem sucesso na Europa, como o Volkswagen Gol na Polônia, Fiat Uno na Espanha, Hyundai HB20 na Áustria

Movido pela curiosidade sobre outros carros brasileiros na Europa, Lucas investigou em agências governamentais e lojas, descobrindo modelos como o Volkswagen Gol na Polônia, Fiat Uno na Espanha, Hyundai HB20 na Áustria, e outros. Na conta @umpalionalemanha no Instagram, ele compartilha descobertas sobre cada carro.

“Há histórias peculiares. Soube de um diplomata português que se encantou tanto com um Gol que decidiu levá-lo para a Europa. A importação da Saveiro para a Holanda foi tão custosa que o comprador se arrependeu. Hoje, a picape está abandonada numa loja”, relatou.

Na lista estão:

  • Chevrolet Celta | Holanda: poucos modelos da Chevrolet foram para a Europa, onde a GM era representada pela Opel;
  • VW Gol | Polônia: o hatch mais vendido no Brasil também é comum na Europa;
  • Fiat Palio | Alemanha: uma versão mais moderna também foi vista;
  • VW Gol | Alemanha: um alemão criou uma coleção do modelo quadrado;
  • Hyundai HB20 | Áustria: frequentemente confundido com o i20, um compacto da Hyundai disponível na Europa;
  • Chevrolet Corsa | Alemanha: a perua, vendida pela Opel na Europa, agora ostenta rodas customizadas.

Palio foi finalmente reconhecido em Nürburgring, um dos santuários do automobilismo, por um alemão entusiasta de carros exóticos

Os carros brasileiros são pouco notados na Europa, especialmente nos locais onde foram oficialmente vendidos. Por exemplo, a Ucrânia recebeu lotes do Siena brasileiro há mais de duas décadas, e unidades da Strada chegaram à Bielorrússia.

O Palio de Lucas foi finalmente reconhecido em Nürburgring, um dos santuários do automobilismo, por um alemão entusiasta de carros exóticos. Dirigir o hatch mineiro no icônico circuito foi um presente de boas-vindas de Lucas ao novo amigo. “Prefiro não ocupar a faixa da esquerda, mas ainda assim aproveitei para observar as várias máquinas passando”, comentou o brasileiro.

Um detalhe curioso é que a placa do Palio apresenta a combinação FÜ-CK 66, um palavrão em inglês. “O carro foi registrado em Fürth, e as letras iniciais sempre identificam a cidade. A escolha dos últimos dígitos foi minha”, explicou, entre risos. Para quem se perguntava se o Palio 2006 é o único carro do nosso protagonista, a resposta é negativa. “Tenho um Golf de oitava geração. Antes, possuía um Opel Mokka.”

Adoraria saber o que você achou dessa história. Conte para nós na seção de comentários se você já teve ou tem um Fiat Palio e a sua experiência com a marca. Não se esqueça de deixar 5 estrelas e ativar as notificações do CPG para acompanhar todas as novidades do mundo automobilístico. Até a próxima!

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x