Menu
Início Exército do Brasil está em processo de negociação para adquirir o sistema de mísseis antiaéreos Akash, desenvolvido pela Índia

Exército do Brasil está em processo de negociação para adquirir o sistema de mísseis antiaéreos Akash, desenvolvido pela Índia

21 de abril de 2024 às 12:35
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Exército do Brasil está em processo de negociação para adquirir o sistema de mísseis antiaéreos Akash, desenvolvido pela Índia
Sistema de mísseis antiaéreos Akash Foto: Divulgação/ Aviation Wall

O Exército do Brasil está avançando nas negociações para adquirir o sistema de mísseis antiaéreos Akash da Índia, uma medida que busca modernizar e fortalecer a defesa aérea nacional diante dos crescentes conflitos globais e preencher uma lacuna significativa na capacidade de defesa de médio e longo alcance do país.

O Exército do Brasil, reconhecendo uma lacuna significativa em sua defesa antiaérea, está agora dando passos concretos para resolver esta deficiência. Com um território vasto e uma extensa fronteira terrestre e marítima para proteger, o país enfrenta desafios logísticos significativos que necessitam de uma resposta robusta em termos de defesa antiaérea. A falta de sistemas de defesa de médio e longo alcance tem sido uma vulnerabilidade crítica para a segurança nacional.

Durante uma audiência recente na Comissão das Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, o General Tomás Paiva, comandante do Exército, destacou as negociações com a Índia para aquisição do sistema Akash. Este sistema é notável por sua capacidade de interceptar aeronaves e mísseis a médias altitudes, oferecendo uma cobertura muito mais ampla do que as capacidades atuais do Brasil.

Artigos recomendados

A implementação do sistema Akash pode significar uma mudança radical para o Exército do Brasil

A implementação do sistema Akash pode significar uma mudança radical para o Exército do Brasil. Atualmente, as defesas do país consistem principalmente em sistemas de curto alcance como o míssil de ombro Igla e o míssil portátil RBS 70, além de sistemas antiaéreos mais antigos como o canhão Oerlikon GDF e o veículo blindado Gepard. Nenhum desses sistemas oferece a capacidade de alcance que o Akash pode proporcionar.

As negociações não são apenas sobre compra e venda, mas também envolvem uma possível troca de tecnologia e produtos, incluindo a proposta de intercâmbio entre os aviões cargueiros KC-390, fabricados pela Embraer, e os sistemas de mísseis Akash. Este tipo de acordo, conhecido como “gov-to-gov” (governo para governo), é uma forma de garantir uma parceria mais estreita e confiável entre Brasil e Índia, fortalecendo as relações bilaterais dentro do contexto dos BRICS.

A aquisição proposta do sistema de mísseis Akash pela Índia representa uma oportunidade estratégica para o Brasil

A aquisição proposta do sistema de mísseis Akash pela Índia representa uma oportunidade estratégica para o Exército do Brasil não apenas preencher uma lacuna crítica em suas capacidades de defesa, mas também para demonstrar um compromisso com a modernização e o fortalecimento das suas forças armadas. Esta negociação tem potencial para melhorar significativamente a segurança nacional e posicionar o Brasil como um líder em defesa antiaérea na América Latina.

Queremos saber sua opinião! Comente abaixo o que você pensa sobre a negociação do Brasil para adquirir o sistema de mísseis Akash da Índia. Você acha que isso fortalecerá a defesa nacional? Participe da discussão e ajude-nos a entender diferentes pontos de vista sobre este tema importante.

Inscreva-se
Notificar de
guest
92 Comentários
Mais antigos
Mais recente Mais votado
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
92
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x