MENU
Menu
Início Empresa desenvolve painel solar a partir de algas capaz de filtrar CO2

Empresa desenvolve painel solar a partir de algas capaz de filtrar CO2

12 de julho de 2022 às 11:09
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Empresa desenvolve painel solar a partir de algas capaz de gerar energia renovável e filtrar CO2
Painel solar a base de algas – imagem: Greenfluidics/Divulgação

A startup mexicana Greenfluidics desenvolveu novos painéis solares a base de algas que, além de revolucionar o mercado renovável, conseguirão preservar o meio ambiente

Uma empresa mexicana especializada em energia renovável, a Greenfluidics, desenvolveu uma inovadora tecnologia, um painel solar capaz de gerar energia renovável através de algas, que faz a remoção de dióxido de carbono Co₂ do ar. O painel solar é baseado em um dos organismos mais essenciais para a terra, as algas, com o mérito de produzir mais da metade do oxigênio do planeta.

Painel solar a base de algas pode reduzir altas na conta de luz e impulsionar o mercado de energia renovável 

O painel solar a base de algas é constituído por duas placas de vídeo, contendo uma solução aquosa enriquecida com nanopartículas recicláveis de Co₂, onde as algas ficam imersas. O painel solar funciona fazendo o consumo do Co₂ e devolvendo biomassa para extração de fertilizantes e também de energia renovável através de um gerador termoelétrico.

Artigos recomendados

A biomassa produzida a partir das algas pode ser extraída e reprocessada como biocombustível, tornando-se uma alternativa de fonte de energia para um prédio ou até mesmo para o segmento de carros elétricos.

A tecnologia das nanopartículas encontradas no painel solar aumenta a condutividade térmica do sistema, contribuindo para a geração de energia renovável elétrica sem aquecimento excessivo durante o período do verão.

Sustentabilidade através das algas  

Segundo a startup mexicana, uma pequena quantidade de alga pode fazer a captura de mais ou menos 1 kg de Co₂. Toda essa ideia de sustentabilidade é aliada ao seu visual, que visa atrair arquitetos com gostos modernos.

Porém, o painel solar ainda é uma ideia abstrata. Os cientistas da empresa temem que a produção tenha um custo muito elevado, prejudicando sua popularização.

Considerada a terceira maior geração de biocombustíveis, a produção de energia a base de algas pode ser uma ótima alternativa para substituir combustíveis fósseis. Tendo um rendimento mais eficiente que a soja e demais matérias-primas comuns, as algas praticamente não oferecem prejuízo ao meio ambiente.

O crescimento do mercado de energia renovável  

No ano passado, o setor de energia renovável permaneceu firme, de forma notável. Os avanços rápidos na tecnologia e a diminuição dos custos dos recursos de energia renovável, junto ao aumento da competitividade no armazenamento de baterias, fez com que a energia renovável fosse uma das fontes de energia mais competitivas em diversas áreas.

Muitos estados, cidades e serviços públicos criaram metas ávidas em relação à energia renovável, aumentado padrões da cadeia de renováveis e declarando mandatos de aquisição de armazenamento de energia.

O crescimento da energia renovável no mundo é contínuo, à medida que a preocupação da população acerca das mudanças climáticas e o apoio às questões ambientais, sociais e governamentais crescem e a demanda por fontes de energia renováveis aumenta na maioria dos segmentos.

O cenário atual da energia renovável no Brasil vem ganhando força e os números impressionam especialistas e investidores no mercado nacional e internacional. Num espaço de tempo de 10 anos, a energia renovável no Brasil cresceu cerca de 30%, o que define mais de 40% de toda a matriz energética do país. Tal presença é ainda maior se considerarmos apenas a energia elétrica, que no total é mais de 80%, em relação ao índice mundial que é de aproximadamente 20%.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR