1. Início
  2. / Automotivo
  3. / Coreia do Norte SURPREENDE ao anunciar carro elétrico local com autonomia de mais de 700 km. O problema é que o modelo, na realidade, é um veículo produzido pela chinesa BYD
Tempo de leitura 6 min de leitura Comentários 5 comentários

Coreia do Norte SURPREENDE ao anunciar carro elétrico local com autonomia de mais de 700 km. O problema é que o modelo, na realidade, é um veículo produzido pela chinesa BYD

Escrito por Alisson Ficher
Publicado em 24/06/2024 às 00:40

A Coreia do Norte, conhecida por suas rígidas políticas e sigilo, recentemente se viu no centro de uma nova controvérsia tecnológica. A promessa de um carro elétrico com impressionantes 720 km de autonomia, supostamente desenvolvido internamente, deixou o mundo curioso. Mas, seria essa inovação realmente norte-coreana ou apenas mais um caso de rebranding?

A empresa Madusan Economic Federation, fundada em 2018 em Pyongyang, anunciou o desenvolvimento do Madusan EV, um carro elétrico que promete ser revolucionário.

A autonomia de 720 km foi o principal ponto de destaque, mas especialistas e vizinhos asiáticos, especialmente na China e Coreia do Sul, receberam a notícia com ceticismo.

Essas dúvidas sobre o anúncio começaram a surgir quando imagens do suposto Madusan EV revelaram mais do que parecia à primeira vista.

Desmascarando o Madusan EV

De acordo com o site CarNewsChina, imagens divulgadas recentemente mostram o que seria o Madusan EV rodando em uma estrada em um dia chuvoso.

O carro em questão, porém, era claramente um BYD Han, um modelo elétrico chinês conhecido que já foi até tópico de matéria aqui no Click Petróleo e Gás. As únicas mudanças visíveis foram a remoção dos logotipos da BYD e a substituição pelo nome Madusan EV.

Rebranding: a verdadeira estratégia da Madusan

Segundo o The Korea Herald, a Madusan Economic Federation não é exatamente uma fabricante, mas sim uma importadora. A empresa adquire produtos eletrônicos, principalmente da China, e os revende na Coreia do Norte com sua própria marca.

Esse processo é conhecido como rebranding, ou seja, quando uma empresa compra produtos de outra marca e os vende sob seu próprio nome. Esse processo não é novo para a Madusan, que faz o mesmo com celulares, televisores e outros dispositivos eletrônicos.

O mito dos 720 km de autonomia

A alegação de que o Madusan EV poderia atingir 720 km de autonomia levantou sobrancelhas, especialmente porque nem o próprio BYD Han, na sua versão original, consegue tal feito. Mesmo utilizando o padrão chinês de medição, que tende a apresentar resultados mais favoráveis, essa autonomia não é alcançada.

O mercado automotivo na Coreia do Norte

Logotipo da BYD foi retirado pela empresa da Coreia do Norte. (Foto: reprodução)

Na Coreia do Norte, a indústria automotiva é pequena e altamente controlada. O uso de automóveis é restrito a uma parcela muito limitada da população, geralmente ligada ao governo. A principal marca de veículos no país é a Pyeonghwa Motors, que também depende de licenças e patentes de fabricantes estrangeiras, como Fiat, SsangYong e Brilliance, para produzir seus carros.

Carros chineses e a indústria local

A importação de veículos chineses para a Coreia do Norte não é uma novidade. A proximidade geográfica e a relação política facilitam essa troca, permitindo que marcas chinesas encontrem um mercado na Coreia do Norte. A Pyeonghwa Motors, por exemplo, utiliza licenças de produção para fabricar modelos baseados em carros de diversas marcas internacionais.

O futuro do Madusan EV

Ainda não há informações concretas sobre o início das vendas do Madusan EV. O veículo elétrico continua em fase de testes e a comercialização não foi confirmada. No entanto, a história do Madusan EV levanta questões sobre a autenticidade das inovações tecnológicas norte-coreanas e o real estado de sua indústria automotiva.

De todo modo, o caso do Madusan EV é mais um exemplo das complexidades envolvendo a Coreia do Norte. Um país cercado de mistério e políticas rigorosas, onde até mesmo os produtos tecnológicos têm histórias ocultas.

Mas, e aí, leitor, você acredita que a Coreia do Norte realmente produziu esse carro elétrico ou essa é somente mais uma história que tem como objetivo ludibriar as pessoas que por lá vivem. Deixe sua opinião nos comentários!

Coreia do Norte SURPREENDE ao anunciar carro elétrico local com autonomia de mais de 700 km. O problema é que o modelo, na realidade, é um veículo produzido pela chinesa BYD

A Coreia do Norte, conhecida por suas rígidas políticas e sigilo, recentemente se viu no centro de uma nova controvérsia tecnológica. A promessa de um carro elétrico com impressionantes 720 km de autonomia, supostamente desenvolvido internamente, deixou o mundo curioso. Mas, seria essa inovação realmente norte-coreana ou apenas mais um caso de rebranding?

A empresa Madusan Economic Federation, fundada em 2018 em Pyongyang, anunciou o desenvolvimento do Madusan EV, um carro elétrico que promete ser revolucionário.

A autonomia de 720 km foi o principal ponto de destaque, mas especialistas e vizinhos asiáticos, especialmente na China e Coreia do Sul, receberam a notícia com ceticismo.

Essas dúvidas sobre o anúncio começaram a surgir quando imagens do suposto Madusan EV revelaram mais do que parecia à primeira vista.

Desmascarando o Madusan EV

De acordo com o site CarNewsChina, imagens divulgadas recentemente mostram o que seria o Madusan EV rodando em uma estrada em um dia chuvoso.

O carro em questão, porém, era claramente um BYD Han, um modelo elétrico chinês conhecido que já foi até tópico de matéria aqui no Click Petróleo e Gás. As únicas mudanças visíveis foram a remoção dos logotipos da BYD e a substituição pelo nome Madusan EV.

Rebranding: a verdadeira estratégia da Madusan

Segundo o The Korea Herald, a Madusan Economic Federation não é exatamente uma fabricante, mas sim uma importadora. A empresa adquire produtos eletrônicos, principalmente da China, e os revende na Coreia do Norte com sua própria marca.

Esse processo é conhecido como rebranding, ou seja, quando uma empresa compra produtos de outra marca e os vende sob seu próprio nome. Esse processo não é novo para a Madusan, que faz o mesmo com celulares, televisores e outros dispositivos eletrônicos.

O mito dos 720 km de autonomia

A alegação de que o Madusan EV poderia atingir 720 km de autonomia levantou sobrancelhas, especialmente porque nem o próprio BYD Han, na sua versão original, consegue tal feito. Mesmo utilizando o padrão chinês de medição, que tende a apresentar resultados mais favoráveis, essa autonomia não é alcançada.

O mercado automotivo na Coreia do Norte

Na Coreia do Norte, a indústria automotiva é pequena e altamente controlada. O uso de automóveis é restrito a uma parcela muito limitada da população, geralmente ligada ao governo.

A principal marca de veículos no país é a Pyeonghwa Motors, que também depende de licenças e patentes de fabricantes estrangeiras, como Fiat, SsangYong e Brilliance, para produzir seus carros.

Por conta disso, a importação de veículos chineses para a Coreia do Norte não é uma novidade. A proximidade geográfica e a relação política facilitam essa troca, permitindo que marcas chinesas encontrem um mercado na Coreia do Norte.

A Pyeonghwa Motors, por exemplo, utiliza licenças de produção para fabricar modelos baseados em carros de diversas marcas internacionais.

O futuro do Madusan EV na Coreia do Norte

Ainda não há informações concretas sobre o início das vendas do Madusan EV. O veículo elétrico continua em fase de testes e a comercialização não foi confirmada. No entanto, a história do Madusan EV levanta questões sobre a autenticidade das inovações tecnológicas norte-coreanas e o real estado de sua indústria automotiva.

De todo modo, o caso do Madusan EV é mais um exemplo das complexidades envolvendo a Coreia do Norte. Um país cercado de mistério e políticas rigorosas, onde até mesmo os produtos tecnológicos têm histórias ocultas.

Mas, e aí, leitor, você acredita que a Coreia do Norte realmente produziu esse carro elétrico ou essa é somente mais uma história que tem como objetivo ludibriar as pessoas que por lá vivem. Deixe sua opinião nos comentários!

Inscreva-se
Notificar de
guest
5 Comentários
Mais antigos
Mais recente Mais votado
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Alisson Ficher

Jornalista formado desde 2017 e atuante na área desde 2015, com experiência de seis anos em revista impressa e mais de 12 mil publicações online. Especialista em temas como política, empregos, economia, cursos e outros. Caso tenha alguma dúvida ou sugestão de pauta sobre algum dos temas tratados no site, por favor, entre em contato.

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x