Constellation fecha contrato com Petrobras para as sondas de perfuração Amaralina Star, Gold Star e Lone Star

Roberta Souza
por
-
13-01-2022 17:04:41
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras - Constellation - perfuração fonte: reprodução

A Constellation Oil Services do Brasil fechou novos contratos com a Petrobras para três de suas plataformas

A Constellation Oil Services do Brasil disse que esses novos contratos reforçam seu relacionamento de longo prazo com a Petrobras e garantem a continuidade operacional das três sondas de perfuração. Os contratos foram concedidos às plataformas Amaralina Star , Gold Star e Lone Star , revelou a Constellation em uma atualização recente.

Leia também:

Segundo o Petróleo Hoje, os contratos da Gold Star e da Lone Star têm duração de três anos. O Amaralina Star é um navio-sonda DP em águas ultraprofundas, que iniciou suas operações em setembro de 2012. Ele foi projetado para perfurar em lâmina d’água de até 10.000 pés e tem capacidade de perfuração de até 40.000 pés.

Tanto a Gold Star quanto a Lone Star são plataformas de perfuração semi-submersíveis DP em águas ultraprofundas. A Gold Star iniciou suas operações em fevereiro de 2010. A sonda é capaz de perfurar em lâmina d’água de até 9.000 pés e tem capacidade de perfuração de até 30.000 pés.

A Lone Star iniciou suas operações em abril de 2011 e é capaz de perfurar em lâmina d’água de até 7.900 pés e tem capacidade de perfuração de até 30.000 pés.Todas as três sondas também estão equipadas para operar no pré-sal do Brasil.

Contratos anteriores entre Petrobras e Constellation

Os contratos anteriores para os dois semi-subs foram concedidos à Constellation em julho de 2019. Os contratos, por dois anos cada, deveriam começar em janeiro de 2020. A Petrobras contratou suas três plataformas de perfuração semi-submersíveis em águas ultraprofundas Alpha Star, Gold Star e Lone Star. Os contratos são de dois anos cada. Todas as três sondas entraram em serviço no período 2010-2011.

Embora a Constellation não tenha fornecido os detalhes financeiros dos contratos, a corretora de plataformas norueguesa Bassoe Offshore estimou a taxa diária em cerca de US$ 155.000 para cada contrato da Petrobras.

A Petrobras tinha o objetivo de utilizar as sondas para atividades de perfuração offshore do Brasil. As operações sob cada contrato devem começar em janeiro de 2020. A notícia dos contratos para o trio de sondas ocorreu duas semanas depois que a Petrobras contratou a plataforma Laguna Star da Constellation em um contrato de dois anos.

Comentando sobre novos contratos, Guilherme Lima, CEO da Constellation, disse: “Garantir esses três contratos, juntamente com o contrato recentemente anunciado para o Laguna Star, é uma conquista notável para a empresa. A Petrobras é um player importante no mercado brasileiro, e isso reforça a parceria de longa data que nossas empresas construíram ao longo dos anos.”

Ele disse que, com as plataformas Brava Star e Olinda Star da Constellation também sob contrato, “uma maioria substancial de nossa frota está atualmente sob contrato”.

Publicidade




Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos