Início Comunidade de SP será a primeira região da América Latina a ser abastecida totalmente com energia solar

Comunidade de SP será a primeira região da América Latina a ser abastecida totalmente com energia solar

23 de março de 2022 às 10:49
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Comunidade - Favela de SP - energia solar - placas solares - painéis solares - América Latina -
Conheça a primeira favela do Brasil a produzir sua própria energia por meio de placas solares – imagem: Gerando Falcões/Divulgação

A iniciativa por parte de uma ONG levará mais que energia solar aos moradores da Favela Marte, em SP: ampliará acesso à saúde e à cultura      

Agora, teremos no Brasil a primeira comunidade da América Latina a ter sua rede de energia alimentada por placas solares. A comunidade contemplada foi a Favela Marte, em São José do Rio Preto, no interior de SP. A Favela Marte servirá de modelo para um grande projeto, com geração de emprego, renda e melhor desenvolvimento social aos moradores da comunidade.

Conheça a Favela Marte, uma comunidade no interior de SP

Conheça a primeira geradora de energia solar da periferia de SP – Reprodução/Youtube

Também conhecida como ‘Vila Itália’, a Favela Marte nasceu em meados de 2014. Ao longo de anos, a população da Favela Marte foi alvo de inúmeras ações judiciais, cujo objetivo era desapropriar a área, antes privada.

Mas tudo mudou quando a comunidade foi escolhida para servir como modelo para o projeto “Favela 3D”, de Edu Lyra, buscando ambientes mais Dignos, Digitais e Desenvolvidos (3D).

Trabalhe no Setor Eólico do Brasil

Essa iniciativa foi desenvolvida pela ONG Gerando Falcões, criada e gerida por Edu Lyra, tem como objetivo quebrar o ciclo de pobreza no país. A ONG realiza diversas ações, além de contar com investimentos oriundos dos setores público e privado. Além da Gerando Falcões, o Banco BV e a fintech Meu Financiamento Solar serão responsáveis pelo financiamento da instalação das placas solares em 240 casas da Favela Marte.

Instalação das placas solares na Favela Marte, primeira comunidade da América Latina a ser abastecida com energia solar

Até junho de 2023, serão instaladas mais de mil placas fotovoltaicas geradoras de energia solar, nas residências e áreas comuns da Favela Marte. Para isso, casas populares serão construídas através da Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano (CDHU). As casas serão construídas como uma alternativa para substituição das casas que não tiverem condições de receber os painéis solares.

De acordo com cálculos do projeto, cada família irá economizar entre R$ 4 mil e R$ 6 mil ao ano em sua conta de luz. Entretanto, o(a) representante de cada família terá que arcar com uma taxa mínima, que será cobrada pela distribuidora de energia de SP.

O Banco BV e o Meu Financiamento Solar oferecerão cursos técnicos voltados à instalação do Sistema de Energia Solar, com o intuito de ajudar a profissionalizar os moradores da Favela Marte. O serviço de infraestrutura geral e pavimentação das ruas da Favela Marte ficará sob total responsabilidade da prefeitura da cidade.

Investimentos na Favela Marte

E por falar em investimentos, a estimativa é de que R$ 52 milhões sejam investidos no projeto que beneficiará a Favela Marte. Cerca de R$ 28 milhões serão oriundos do Governo do Estado de SP, R$ 15 milhões foram arrecadados pela Gerando Falcões, com parceiros da iniciativa privada, e a prefeitura de São José do Rio Preto pretende investir também R$ 15 milhões.

Este projeto é uma obra coletiva, com diversas pessoas trabalhando juntas em prol da comunidade. Segundo o prefeito Edinho Araújo, durante uma reunião em 2021, todos estão construindo isso com boa vontade e utilizando recursos que estão sendo bem distribuídos, em um projeto que não é tão simples e que servirá de modelo para todo o Brasil.

Além da Gerando Falcões, que entrará com o projeto “Favela 3D”, ampliando o acesso à saúde e levando direito a educação, cidadania, autonomia da mulher, geração de renda, cultura, esporte e lazer, a Fundação Volkswagen ajudará a ONG na concepção de duas cooperativas dentro da favela, em SP, onde serão trabalhados artesanatos, costura e incentivo à coleta seletiva. Edu Lyra também aproveitou o festival SXSW, nos Estados Unidos, para fazer um convite ao bilionário Elon Musk para conhecer e investir no “Favela 3D”.

Relacionados
Mais recentes