Bolsonaro vai discutir com ministérios sobre convite de ingresso na OPEP

Bolsonaro e a OPEP

Presidente Bolsonaro disse que precisaria conversar com ministros antes de tomar uma decisão mas que estava ansioso pelo convite

Durante a visita do Presidente Jair Bolsonaro à Arábia Saudita, o Brasil foi convidado a participar da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo).
A declaração foi do próprio presidente que garantiu que o convite será bem analisado junto a seus ministros e ministérios da Economia e das Minas e Energia. Na terça-feira a Arábia Saudita anunciou U$ 10 bilhões em investimentos no Brasil.

Bolsonaro declarou também que aguardava com certa ansiedade pelo convite, pois reforça a importância do país como produtor de petróleo.
O convite foi recebido ontem, quarta-feira (30/10, durante uma reunião com autoridades sauditas, incluindo o príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman.

O presidente brasileiro chegou a convidar os sauditas a participar do leilão da Cessão Onerosa e fez questão de dizer que o Brasil é um bom ambiente para se investir.

“Podemos conversar sobre isso. Eu teria que ouvir o meu ministro da Economia e meu ministro também das Minas e Energia para que, uma vez eu anunciando algo nesse sentido, a palavra seja cumprida lá na frente. Eu costumo sempre conversar com os ministros antes de tomar uma decisão. Afinal de contas, é a melhor maneira que nós temos de manter a nossa credibilidade. Mas, particularmente, gostaríamos que integrássemos a Opep. Sim. Temos potencial para isso. Temos reservas de óleo maiores que alguns países que já integram a Opep, afirmou Bolsonaro.

Aumento da produção

O convite para o ingresso na organização vem em função do fato que o Brasil se tronará o o terceiro maior produtor da Opep, depois da Arábia Saudita e do Iraque e mais ainda pela dificuldades que a OPEP está enfrentando para manter os preços frente a crescente produção de petróleo brasileiro.

Segundo a Agência Internacional de Energia (AIE), a produção média do país chegará a 2,9 milhões este ano e 3,22 milhões em 2020, maior que em 2018, quando produziu 2,71 milhões de barris por dia.
Em agosto a produção brasileira bateu recorde e atingiu 3,1 milhões de barris por dia.

Já houveram outros convites para o país entrar na OPEP, em 2008 o Irã chegou a convidar o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas as conversas não foram á frente.
No governo Michel Temer, o Brasil tinha uma visão diferente do discurso da OPEP ao defender o aumento da produção local enquanto a organização queria conter a oferta para sustentar preços.

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)