Menu
Início Ampliação da mineração na Amazônia: Veja os projetos para movimentar o mercado de cobre, alumínio, níquel e cobalto para o ano de 2023 e como esta iniciativa ajudará na manutenção dos empregos deste setor

Ampliação da mineração na Amazônia: Veja os projetos para movimentar o mercado de cobre, alumínio, níquel e cobalto para o ano de 2023 e como esta iniciativa ajudará na manutenção dos empregos deste setor

19 de setembro de 2023 às 05:33
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
O garimpo ilegal na Amazônia tem levado as mineradoras da região a pedirem ajuda a diversos órgãos, incluindo os internacionais. O pedido foi feito a alguns países da Europa para garantir mais segurança e valorização da área.
Foto: Gustavo Basso

Novas iniciativas de mineração despontam na Amazônia, prometendo maior produção de metais como cobre e níquel, e oportunidades crescentes de empregos.

A rica geodiversidade da Amazônia, englobando estados como Acre, Amazonas e Pará, vem atraindo investimentos robustos no setor de mineração. No entanto, manter práticas sustentáveis para limitar impactos socioambientais e assegurar a viabilidade econômica é fundamental, inclusive, essa é uma das reinvindicações das principais mineradoras do Brasil que se reunirão em Belo Horizonte este ano. A complexidade logística, especialmente para projetos emergentes, e a necessidade de licenças ambientais, são apenas algumas das barreiras que os mineradores enfrentam.

Em 2022, a Ero Brasil deu novo fôlego ao seu projeto de uma mina de cobre em Tucumã, Pará. A meta? Dobrar sua produção de cobre até junho de 2024, alcançando impressionantes 110 mil toneladas anuais. Com um investimento de US$ 305 milhões, não se trata apenas de uma mina, mas de um complexo que inclui uma planta de beneficiamento e outras infraestruturas vitais. Para enfrentar os desafios climáticos e logísticos da Amazônia, a empresa foca em estratégias adaptativas, considerando as intensas chuvas e a extensa distância até os portos.

Artigos recomendados

Ampliando o horizonte do alumínio

A Mineração Rio do Norte está investindo pesado no Projeto Novas Minas (PNM), almejando estender a vida útil de suas operações em 15 anos. Ressaltando que a SSM Brasil, do mesmo ramo, anunciou também abertura de nova fábrica em Pernambuco com 1.200 vagas de emprego. Este projeto acrescentará mais sustentabilidade à cadeia de produção do alumínio, cuja demanda é alta em setores como energia e transportes. Com um compromisso de preservar os empregos na região, o PNM também promete fortalecer as iniciativas socioambientais e contribuir para o crescimento econômico local.

Horizonte Minerals: apostando no níquel e cobalto

A Horizonte Minerals, focada em níquel e cobalto, está otimista com seus dois grandes projetos no Pará: Araguaia Níquel e Projeto Vermelho. Ambos destacam-se por sua escala, baixo custo e sustentabilidade. Enquanto o Araguaia visa produzir 29.000 toneladas de níquel anualmente até 2024, o Vermelho foca no mercado de baterias para veículos elétricos, prometendo uma produção significativa de níquel e cobalto.

Com o apoio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado do Pará, o Projeto Araguaia Níquel avança rapidamente, preparando-se para iniciar sua produção. Até maio de 2023, a construção estava 58% concluída, mostrando um progresso considerável.

Os desenvolvimentos em mineração na Amazônia são promissores. Com a combinação certa de tecnologia, investimento e práticas sustentáveis, o futuro do cobre, alumínio, níquel e cobalto na região parece brilhante, trazendo não apenas progresso econômico, mas também oportunidades significativas de empregos.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR