AES Tietê compra complexo eólico no Rio Grande do Norte por 650 milhões de reais

Flavia Marinho
por
-
07-08-2020 18:37:31
em Energia Renovável
AES Tietê compra complexo eólico no Rio Grande do Norte por 650 milhões de reais O complexo eólico no Rio Grande do Norte, adquirido pela AES Tietê encontra-se em operação desde 2014 e possui 187 MW de capacidade instalada

O complexo eólico no Rio Grande do Norte adquirido pela AES Tietê, encontra-se em operação desde 2014 e possui 187 MW de capacidade instalada

Investimento milionário no Rio Grande do Norte! A AES Tietê assinou na última quarta-feira (05/08), o contrato de compra e venda de ações com J. Malucelli para a aquisição da totalidade das ações de três parques eólicos no estado. Outra negociação milionária no RN, Petrobras já embolsou R$ 2,1 bilhões nos últimos sete meses com programa de desinvestimento

As novas aquisições da AES Tietê no Rio Grande do Norte, compõem o Complexo Eólico Ventus – Parques Eólicos Brasventos Eolo (antigo Rei dos Ventos 1), Rei dos Ventos 3 e Miassaba 3.

O Parque Eólico Ventus localiza-se em uma das regiões mais privilegiadas em termos de recurso eólico do país, na costa do estado do Rio Grande do Norte.

O complexo eólico no Rio Grande do Norte encontra-se em operação desde 2014 e possui 187 MW de capacidade instalada, comercializado por leilão de reserva por 20 anos.

Tabela de Projeções

Segundo a AES Tietê, o valor total da compra é de até R$ 650 milhões. São R$ 449 milhões com 51% na data do fechamento e 49% após 5 meses, sem atualização monetária.

Além disso, assunção da dívida líquida do Projeto, cujo saldo estimado é de R$ 201milhões. A operação será financiada totalmente por meio da capacidade de endividamento adicional do projeto e da AES Tietê.

Confira vagas e notícias sobre o Rio Grande do Norte e o setor eólico

O chefe da AES Corp na América do Sul, Julian Nebreda, afirmou que a companhia pretende acelerar a expansão de sua unidade de energia renovável no Brasil, a AES Tietê, após ter chegado a um acordo com o BNDES para a compra de parte das ações do banco estatal na elétrica que envolveu cerca de R$ 1,27 bilhão.

JSL passa a ser subsidiária da Simpar

A JSL aprovou a reorganização societária, fato que foi antecipado pela empresa em 1º de abril e 21 de julho. A Simpar comprou a totalidade das ações de emissão da JSL. Além disso, há a cisão parcial da JSL com incorporação da parcela cindida na Simpar.

“Em razão da aprovação da Incorporação de Ações, a companhia passa a ser, nesta data, uma subsidiária integral da Simpar e os acionistas da JSL passam a ser acionistas da Simpar”, informa a empresa em nota.

Tags:
Flavia Marinho
Engenheira de Produção pós graduada em Engenharia Elétrica e Automação. Experiente na indústria de construção naval onshore e offshore. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.