MENU
Menu
Início A luta para reconstruir a ponte que colapsou em Baltimore no incidente com navio cargueiro

A luta para reconstruir a ponte que colapsou em Baltimore no incidente com navio cargueiro

3 de abril de 2024 às 15:31
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
A luta para reconstruir a ponte que colapsou em Baltimore no incidente com navio cargueiro
Ponte de Baltimore Foto: Divulgação/11Alive

Na calada da noite de 26 de março, um navio cargueiro causou um desastre em Baltimore ao colidir com a ponte Francis Scott Key, provocando seu colapso e lançando veículos nas águas gélidas. Este evento chocante desencadeou uma crise logística e econômica, desafiando a cidade com a necessidade urgente de reconstruir a infraestrutura vital, enfrentando custos estimados entre 400 milhões a 1 bilhão de dólares, e repensando a segurança e a resiliência de suas pontes e rotas de transporte.

Na madrugada de 26 de março de 2024, a cidade de Baltimore enfrentou uma catástrofe quando um navio cargueiro colidiu com um pilar da ponte Francis Scott Key, levando ao colapso de parte significativa de sua estrutura de aço. Este incidente não apenas mergulhou veículos nas águas gélidas, mas também desencadeou uma série de questionamentos sobre a segurança das infraestruturas e o custo da reconstrução.

O navio, a caminho de Colombo, Sri Lanka, experimentou uma falha elétrica na navegação, causando o desastre. A ponte, inaugurada em 1977 e essencial para o transporte de materiais perigosos, viu sua estrutura desmoronar rapidamente. Capturando atenção internacional, o colapso destacou a vulnerabilidade das pontes e os desafios na gestão de emergências urbanas.

Artigos recomendados

Qual o impacto econômico e logístico em no Porto de Baltimore

O Porto de Baltimore, vital para o comércio dos EUA, sofreu um golpe severo. Com a ponte fora de serviço, a logística de transporte e o fluxo comercial estão em crise, afetando milhares de empregos e a economia local. A reconstrução, estimada entre 400 milhões a 1 bilhão de dólares, reflete a magnitude do desafio enfrentado.

A reconstrução exige um esforço monumental de limpeza, planejamento e coordenação inter-agências. Propõe-se uma nova estrutura que não só atenda às demandas atuais, mas também incorpore avanços tecnológicos e materiais sustentáveis para resistir a futuros desastres.

E sobre o navio cargueiro?

O navio cargueiro envolvido no incidente em Baltimore estava a caminho de Colombo, no Sri Lanka, quando colidiu com um pilar da ponte Francis Scott Key, resultando no colapso de grande parte da estrutura da ponte. Este navio, registrado em Singapura, começou a apresentar falhas elétricas na navegação pouco antes do acidente, que ocorreu na madrugada de 26 de março de 2024. As falhas levaram a um apagão das luzes e perda de controle, culminando na colisão com a ponte.

O navio tinha impressionantes 300 metros de comprimento e capacidade para carregar até 10.000 contêineres. A magnitude do impacto do navio com a ponte foi comparável à força de colisão de 50 caminhões de grande porte, cada um viajando a uma velocidade de 50 km/h. Esse desastre não apenas causou danos significativos à estrutura da ponte, mas também teve um impacto profundo na logística, no tráfego marítimo e na economia local, devido à importância estratégica da ponte e do Porto de Baltimore.

Baltimore e a comparação com o Brasil

O incidente em Baltimore ressalta diferenças em padrões de segurança e gestão de infraestruturas em comparação com outras regiões, como o Brasil, onde pontes como a Rio-Niterói mantêm um histórico de resiliência. A reconstrução em Baltimore não é apenas uma resposta a um acidente, mas uma oportunidade para reavaliar e melhorar a infraestrutura urbana e a mobilidade sustentável.

O acidente em Niterói, ocorreu em 4 de novembro, sob condições de fortes ventos ao entardecer. Um cargueiro abandonado desde 2016, com 200 metros de comprimento e 30 metros de largura, desprendeu-se devido às suas âncoras desgastadas pelo tempo e atingiu seis pilares da Ponte Rio-Niterói. Felizmente, apenas o parapeito, que serve para proteger os veículos na ponte, sofreu avarias, e não houve danos significativos à estrutura principal da ponte.

0 0 Votos
Avalie o Artigo

Inscreva-se
Notificar de
guest
Seus comentários são moderados antes de serem aprovados ou não! Portanto, estão proibidos os seguintes termos: palavras de baixo calão, ofensas de qualquer natureza e proselitismo político. A infração destas regras ocasionará na impossibilidade de comentar e até mesmo exclusão de seu cadastro. Seus comentários, perfil e atividades são vistos por MILHÕES DE PESSOAS, então aproveite esta janela de oportunidades e faça seu cadastro aqui ou faça login com suas redes sociais.
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x