A fusão entre a Ensco e a Rowan mudará todo o setor de perfuração offshore

Ensco Rowan fusão offshore negócios
 

O mercado de sonda offshore precisava de consolidação, e conseguiu em uma mega dose.  A Ensco e a Rowan acabaram de criar a mãe de todos os proprietários de equipamentos de perfuração offshore

O mercado de sonda offshore precisava de consolidação, e conseguiu em uma mega dose. A fusão entre a Ensco e a Rowan mudará todo o setor de perfuração offshore. Se a Ensco tivesse o objetivo de se tornar a proprietária de plataformas marítimas mais poderosa do mundo, eles quase conseguiram isso hoje com o acordo fusão com a Rowan em uma transação de ações. A empresa operará 28 plataformas flutuantes e 54 jackups.

Depois de dar o primeiro passo para a consolidação do mercado no ano passado, em sua aquisição da Atwood, a Ensco decidiu que eles estavam prontos para executar um negócio superdimensionado. Rowan ofereceu-lhes exatamente isso.

A Ensco não se tornou o maior proprietário de perfuração por ativos. Eles estão adquirindo uma das frotas de equipamento offshore mais interessantes e de alcance global no mercado com a Rowan. Eles estão obtendo a cobiçada joint venture ARO Drilling com a Saudi Aramco (que possui outros sete jackups e construirá mais 20). Eles estão obtendo sinergias, economias de escala e mais controle sobre um setor que sofreu com uma paisagem excessivamente fragmentada e com o desejo das empresas de petróleo de cortar custos.

O que vem a seguir para a nova Ensco?

A única coisa que a Ensco não obteve deste acordo é o acesso a semisubs de ambientes agressivos. Se há um lugar onde você quer estar agora (e no futuro), ele está no mercado de plataformas flutuantes do Mar do Norte, com a escassez iminente de plataformas e a perspectiva de taxas de entrada muito maiores.

Assim que a Ensco racionalizar sua nova frota, não ficaremos surpresos em vê-los entrar no segmento.

E como parte de seu processo de racionalização de frota, esperamos mais sucateamento e, possivelmente, novas aquisições de plataformas menores. Dois dos jackups ainda listados na frota da Rowan, por exemplo, o Rowan California e o Gorilla IV, já devem ser removidos da frota combinada (eles não são contados nos 54 jackups que Rowan se referiu e provavelmente serão vendidos em breve). A Ensco tem pelo menos quatro jackups mais antigos que poderiam ser retiradas em breve também.

O que isso significa para o resto do setor?

Isso significa que, se você quiser continuar competindo, precisará fazer alguma coisa. À medida que certos proprietários de plataformas se tornam maiores ou mais especializados (como a Ensco e a Transocean), outros acharão difícil manter a competitividade devido ao seu tamanho menor.

Todos sabiam que a indústria de plataformas marítimas precisava se consolidar, e tem sido um processo relativamente lento até agora. Mas toda vez que isso acontece, isso afasta ainda mais quem não está participando.

À medida que os maiores players ganham o tamanho para justificar o descarte, eles definem um padrão mais alto para especificações, equipamentos e eficiência que permitirão que continuem construindo uma vantagem sobre os outros.

Esperamos que negócios como os que vimos da Ensco, Transocean, Borr e Northern Drilling (juntamente com a Seadrill) não apenas atraiam, mas forcem os proprietários de plataformas a repensarem sua estratégia e se tornarem mais proativos em um setor em constante mudança.

O mercado offshore é conhecido por transformar-se repentinamente em uma espécie de pressa e espera. Neste momento, é hora de os outros se apressarem se quiserem manter seu lugar na fila.



https://clickpetroleoegas.com.br/com-a-chegada-de-furacao-dez-plataformas-de-petroleo-foram-evacuadas/


Baixem também o aplicativo  Empregos e Noticiais CPG para Android na Playstore clicando aqui. Nele postamos informações e oportunidades exclusivas todos os dias.

Gostaria de compartilhar uma foto conosco da sua área de trabalho, vagas de empregos ( com as fontes), sugestões de pautas ou alguma outra informação importante do ramo de energia e empregabilidade? Entre em contato com a gente no Messenger aqui.

Sobre Paulo Nogueira

Formado em Eletrotécnica e entusiasta do setor de tecnologia, já atuei em empresas do ramo de energia, óleo e gás em operações de completação, perfuração e produção em empresas em parceria com grandes empresas multinacionais do setor.