Vale dispara e visa aumento na produção de minério de ferro para 2022, entre 320 a 335 milhões de toneladas

Roberta Souza
por
-
30-11-2021 16:43:10
em Indústria e Construção Civil
Vale, minério de ferro Foto: reprodução google

A mineradora prevê produção entre 320 a 335 milhões de toneladas de minério de ferro em 2022

Em comunicado nessa segunda-feira (29), a mineradora Vale S.A. informou que a nova projeção para o próximo ano é que sejam produzidos de 320 milhões a 335 milhões de toneladas de minério de ferro. A divulgação foi feita durante um evento com investidores em Nova York.

A estimativa de capital despendido para atingir a meta no período é de US$ 5,8 bilhões. De acordo com a companhia, a média estimada para os próximos anos é de US$ 5 bilhões a US$ 6 bilhões, considerando uma taxa média de câmbio de 5,00 em 2023.

Para 2021, a meta foi revista para 315-320 milhões, sendo que anteriormente era previsto estar entre 315-335 milhões. Apesar da diminuição, a empresa voltará a aumentar a produção de minério de ferro após cair em 2020 devido a paralisações de minas que passaram por revisões de segurança.

Em 2020, a produção da Vale foi de 300,4 milhões de toneladas contra quase 302 milhões de toneladas em 2019.

“A abordagem de ‘value over volume’ continuará definindo a estratégia de produção e vendas”, destacou a mineradora ao afirmar que terá por prioridade a qualidade dos produtos para obter ganhos, em detrimento da quantidade produzida.

Em relação à produção de pelotas de minério de ferro, a estimativa para 2022 ficou entre 34 milhões a 38 milhões. Já a partir de 2023, deve superar as 50 milhões de toneladas.

Produção da Vale de outros metais  

A Vale divulgou, também, as projeções para os metais básicos.

Para o cobre, a estimativa de produção é de  330-335 mil de toneladas de cobre em 2022; de 390-420 mil de toneladas entre 2023 e 2026; e acima de 450 mil toneladas após 2027.

Para o níquel, estima-se produzir entre 175-190 mil toneladas de 2022 a 2023 e mais de 200 mil toneladas após 2024.

Os lucros antes de juros, impostos, depreciações e amortizações (Ebitda) em 2023 devem ficar entre US$ 16,5 bilhões e US$ 24,0 bilhões. Isso dependerá da média anual do preço do minério de ferro e do volume de vendas dele, além da variação de preço do cobre e do níquel, e da taxa de câmbio média anual.

Na apresentação, a Vale informou que 2021 foi um ano desafiador para metais básicos, com revisão ampla de segurança e estratégias, além de atrasos em manutenções em decorrência da pandemia de covid-19.

Publicidade




Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos