MENU
Menu
Início Semana 4 da Esgian: Principais Atividades e Descobertas de Perfuração – Destaques do Relatório

Semana 4 da Esgian: Principais Atividades e Descobertas de Perfuração – Destaques do Relatório

29 de janeiro de 2024 às 00:21
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Relatório semanal, mercado de petróleo, atividades de perfuração
Destaques da Semana 4 da Esgian: Petróleo, Perfuração e Atividades no Setor – FOTO: ©2024 AtCoMedia. Inc

O mercado de petróleo na 4ª semana de 2024 traz atualizações sobre descobertas e perfurações exploratórias em todo o mundo. Participação em licitação também é destacada.

A quarta semana de 2024 foi movimentada para a Esgian, com muitas notícias relevantes sobre o mercado de petróleo. Novos relatórios sobre descobertas de petróleo e atividades de perfuração exploratória foram destaque, além de atualizações sobre contratos e mobilização de plataformas em diversas regiões do mundo.

Semana 4 da Esgian

Atividade de perfuração e descobertas

Artigos recomendados

A Equinor descobriu petróleo no poço de exploração 30/12-3 S no Mar do Norte, ao largo da Noruega. O poço também incluía um desvio, 30/12-3 A, que estava seco. A Equinor perfurou o poço em nome da Aker BP, que é a operadora da licença de produção 272 B onde os poços estão localizados. A licença faz parte do campo Munin, que foi descoberto em 2011. A perfuração foi conduzida pelo semi-submarino Deepsea Stavanger de 10.000 pés da Odfjell Drilling.

A Tullow Oil espera concluir sua atividade de perfuração no campo Jubilee, na costa de Gana. cerca de seis meses antes do previsto. A empresa e seus parceiros de joint venture pretendem então fazer uma pausa na perfuração em Gana antes de retomar em 2025. A Tullow Oil tem perfurado em seus campos Jubilee e TEN no mar de Gana com o navio-sonda Noble de 12.000 pés Noble Venturer (anteriormente Maersk Venturer) para o últimos anos.

Depois de mais de um ano em espera offshore em Darwin, Austrália, o semi-submarino Valaris MS-1 de 8.200 pés retomou as operações de perfuração no empreendimento Barossa, em Santos. A plataforma chegou ao campo de Barossa em meados de janeiro, vindo de seu local de espera a sudeste do Cabo Fourcroy, Ilha de Bathurst, no Golfo de Beagle.

Santos disse que, apesar dos atrasos, ainda espera o primeiro gás de Barossa em 2025, no entanto, não no primeiro semestre de 2025, como originalmente planejado quando o FID foi feito em 2021.

Borr Drilling Jackup de 400 pés Gunnlod concluiu o trabalho com SapuraOMV após perfurar seis poços de desenvolvimento em o campo Jerun offshore Sarawak, Malásia. Espera-se que Gunnlod permaneça na Malásia para os próximos trabalhos com um operador não divulgado, programado para funcionar entre fevereiro e maio de 2024, com base em uma LOA vinculativa fixada em 2023.

Semana 4 da Esgian

A Murphy Oil está avançando com planos para perfurar duas explorações poços na Bacia de Cuu Long, na costa do Vietnã, em 2024. Espera-se que os poços sejam perfurados no segundo semestre de 2024 com a Japan Drilling Hakuryu-11 de 425 pés. poços de exploração no leste dos EUA GOM em 2024, com datas de perfuração previstas para o segundo trimestre de 2024. A Oxy planeja perfurar o poço Ocotillo no Mississippi Canyon Bloco 40 e o poço Orange no Mississippi Canyon Bloco 216. A empresa chamou esses poços de ‘promissores oportunidades de exploração’ no final de 2023. A Oxy tem dois navios-sonda sob contrato no GOM dos EUA; Unidade Valaris de 12.000 pés Valaris DS-16 e unidade Diamond Offshore de 10.000 pés Ocean Blackhawk

A petrolífera portuguesa Galp disse na sexta-feira que descobriu uma coluna significativa de petróleo leve em areias contendo reservatórios de alta qualidade na AVO -2, um alvo mais profundo do poço Mopane-1X, no mar da Namíbia. A Galp está a utilizar o Hercules semisubmersível gerido pela Odfjell Drilling para a operação.

Demanda

As recentes atualizações sobre o progresso do desenvolvimento do Sea Lion incluíram um plano de desenvolvimento atualizado para se alinhar aos modelos de reservatório da Navitas Petroleum LP, levando a um aumento de 11% nos recursos certificados em todo o portfólio da Bacia das Malvinas do Norte. A Navitas identificou navios flutuantes de produção, armazenamento e transferência (FPSO) adequados e disponíveis e está trabalhando ativamente com os principais fornecedores da indústria para proteger todos os equipamentos de longo alcance, com o objetivo de alcançar a Decisão Final de Investimento (FID) da Fase 1 do Sea Lion em 2024 e alcançar o primeiro petróleo até ao final de 2026.

A Sonangol e os seus parceiros continuam a planear a actividade nos Blocos B3/05 e B3/05A offshore de Angola. O sócio Afentra afirmou que continua o planejamento da seleção da fase inicial para instalação de bombas elétricas submersíveis, obras e poços de enchimento em B3/05 e B3/05A. Os candidatos a perfuração incluem o campo não desenvolvido de Bufalo Nord, a descoberta de Gazela e um poço de exploração em Pacassa South West.

Mobilização/movimentos de plataforma

O semi-submarino COSLProspector de 4.921 pés da COSL deixou as Ilhas Canárias e agora está a caminho de seu destino final, a Noruega. Espera-se que o semi-submarino chegue à Noruega no início de fevereiro de 2024. Após os preparativos, ele iniciará um contrato firme de dois anos com a Vår Energi no Mar de Barents no terceiro trimestre de 2024.

A Shelf Drilling, de 300 pés, de propriedade jackup, Main Pass IV, reiniciou as operações com a Saudi Aramco no Oriente Médio. O Main Pass IV realizou sua manutenção planejada no Estaleiro Zamil, na Arábia Saudita. Com o reinício deste contrato, a plataforma estará ocupada até março de 2025.

O semi-submarino Stena Don de 1.640 pés da Stena Drilling está em um estaleiro na Noruega, onde está passando por alguns trabalhos de recertificação relacionados à vistoria periódica especial ( SPS)/UWILD. A plataforma está sob contrato com a Shell no Reino Unido desde maio de 2023, mas o contrato foi pausado recentemente para que ela passe por essas obras relacionadas ao SPS, que estão previstas para 27 de fevereiro de 2024. Assim que essas operações forem concluídas, o semissubmarino irá retorno ao Mar do Norte.

Valaris 350-ft jackup Valaris 118 foi atracado em Chaguaramas, Trinidad, para manutenção de rotina e atualizações antes de sua próxima campanha de seis poços com a BP. Valaris 118 está trabalhando para a BP em Trinidad desde outubro de 2022. Após a conclusão de sua estadia no estaleiro, a plataforma retornará à BP offshore em Trinidad para uma extensão do contrato de seis poços, fixada em novembro de 2023.

Transocean O semi-submarino Transocean Endurance de 1.640 pés deixou Dampier, na Austrália, e está sendo rebocado para as instalações de Stybarrow em Woodside para iniciar um contrato de P&A. A sonda, que chegou à Austrália vinda da Noruega no início deste ano, tem como destino Eskdale, reservatório que faz parte do Stybarrow Development, juntamente com o reservatório Stybarrow. A plataforma Cat D deverá chegar ao local na quinta-feira, 25 de janeiro, e após a aceitação final, deverá iniciar seu contrato até o final da semana.

Outras Notícias

O Governo da República da África do Sul deu a aprovação final para a transferência de uma participação de 6,25% no Block 3B/4B da subsidiária da Eco Atlantic, Azinam Limited, para a Africa Oil Corp. Com esta transação, anunciada pela primeira vez em julho de 2023, a Africa Oil passa a deter uma participação operada de 26,25% no bloco, enquanto a Eco Atlantic tem uma participação de 20% e a Ricocure (Pty) Ltd detém uma participação de 53,75%.

A W&T Offshore adquiriu seis campos em águas rasas do GOM dos EUA por US$ 72 milhões, excluindo certos custos de fechamento. A W&T Offshore fez uma oferta sobre esses ativos oferecidos pela Cox Operating e empresas relacionadas que entraram com pedido de falência em maio de 2023.

A Eco (Atlantic) Oil & Gas Ltd. iniciou a entrada na segunda fase do segundo período de renovação para a Licença Orinduik na Guiana, com vigência a partir de 14 de janeiro de 2024. Nesta Segunda Fase, há o compromisso de perfurar um poço exploratório na formação Cretáceo até o final do período da licença, em 13 de janeiro de 2026.

Stena O semi-submersível Stena Spey para ambiente hostil de 5.000 pés da Drilling está sendo comercializado para venda. A consultoria marítima Clarksons está auxiliando no desinvestimento da unidade. Stena Spey foi entregue pela DSME em 1983 como High Seas Driller e tem trabalhado principalmente no Mar do Norte do Reino Unido e no mar da Irlanda desde então.

A Petronas da Malásia concedeu Contratos de Partilha de Produção (PSCs) para seis blocos de exploração e um Cluster de oportunidades de recursos descobertos (DRO) comercializado na Rodada de Licitações da Malásia de 2023 (MBR 2023). A Petronas também lançou a Rodada de Licitações da Malásia 2024.

A NEO Energy apresentou ao regulador do país a declaração ambiental (ES) para seu desenvolvimento em Buchan Horst, no Mar do Norte do Reino Unido. O Projeto de Redesenvolvimento de Buchan, operado pela NEO Energy, envolve a reconstrução do campo Buchan Horst, em Outer Moray Firth nos Blocos UKCS 20/05a e 21/01a no Mar do Norte Central, c. 115 km a nordeste da costa de Aberdeenshire. O projeto proposto compreenderá a perfuração de até cinco poços de produção e dois poços de injeção de água, em dois centros de perfuração localizados em uma única zona de segurança de 500 m. No momento da preparação do ES, a NEO ainda não tinha determinado se uma plataforma semi-submersível ou autoelevatória seria usada para perfurar os poços propostos.

A United Oil & Gas Plc garantiu uma extensão de dois anos à sua licença Walton Morant offshore da Jamaica até 31 de janeiro de 2026. A empresa tem 100% de participação no bloco. Durante esta extensão, a United pretende realizar estudos técnicos adicionais, incluindo amostragem de núcleo de pistão e reprocessamento sísmico, com o objetivo de reduzir ainda mais os riscos do sistema petrolífero e definir melhor as perspectivas e pistas identificadas na licença.

A Petrobras formalizou manifestou interesse ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em garantir o direito de preferência para o bloco pré-sal de Jaspe, na Bacia de Campos. Esse ativo está previsto para ser licitado na terceira rodada do Sistema de Oferta Permanente, operando no Regime de Partilha de Produção. Ao exercer o direito preferencial de licitação, a Petrobras pode garantir uma participação operacional de 30% na Jaspe.

Energia offshore Perfuração Notícias do setor Atividade Petróleo e Gás

Inscreva-se

Notificar de


guest


Seus comentários são moderados antes de serem aprovados ou não! Portanto, estão proibidos os seguintes termos: palavras de baixo calão, ofensas de qualquer natureza e proselitismo político. A infração destas regras ocasionará na impossibilidade de comentar e até mesmo exclusão de seu cadastro. Seus comentários, perfil e atividades são vistos por MILHÕES DE PESSOAS, então aproveite esta janela de oportunidades e faça seu cadastro aqui ou faça login com suas redes sociais.

0 Comentários


Feedbacks
Visualizar todos comentários

0 0 Votos
Avalie o Artigo

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x