1. Início
  2. / Indústria
  3. / Revelado o mineral 10 vezes mais forte que o poderoso Grafeno: Novo protagonista surge para revolucionar a mineração e a indústria de fabricação de eletrônicos no mundo
Tempo de leitura 3 min de leitura Comentários 0 comentários

Revelado o mineral 10 vezes mais forte que o poderoso Grafeno: Novo protagonista surge para revolucionar a mineração e a indústria de fabricação de eletrônicos no mundo

Escrito por Flavia Marinho
Publicado em 26/05/2024 às 10:14
grafeno - nitreto de boro - ouro - eletrônico - pedra filosofal - adamantium
Revolução na mineração: ‘deu ruim’ para o grafeno. A descoberta revolucionária do herói anônimo, nitreto de boro, está prestes a transformar a indústria no mundo!

Revolução na mineração: ‘deu ruim’ para o grafeno. A descoberta revolucionária do herói anônimo, nitreto de boro, está prestes a transformar a indústria no mundo!

Há uma revolução silenciosa acontecendo no mundo dos materiais, e a Universidade Rice, nos EUA, quebrou paradigmas de um século. Cientistas desbravadores revelaram uma descoberta extraordinária: um material que desafia as expectativas ao ser dez vezes mais resistente que o poderoso grafeno. Este herói anônimo atende pelo nome de nitreto de boro hexagonal.

Ambos compartilham a intrigante estrutura hexagonal, mas é aqui que as histórias divergem. Cada hexágono do grafeno é composto por átomos de carbono, que encantou a comunidade científica, mas revelou sua fragilidade quando submetido a situações extremas. Em contrapartida, o nitreto de boro hexagonal, exibe em sua intrigante composição três átomos de boro e três de nitrogênio. Essa dança atômica sutil se revela crucial para uma surpreendente resistência única a rachaduras, desafiando conceitos já estabelecidos.

Cientistas descobrem adamantium??

Medindo forças além dos limites: O combate entre o poderoso Grafeno e a surpreendente superioridade mecânica do Nitreto de Boro

Em um duelo de forças, o grafeno e o nitreto de boro hexagonal se enfrentam no ringue de resistência. Surpreendentemente, o campeão não é o que esperávamos. Enquanto o grafeno ostenta uma resistência de 130 gigapascals e uma elasticidade de 1 terapascal, o nitreto de boro hexagonal, apesar de seus índices aparentemente menores, revela-se cerca de dez vezes mais robusto nos testes de laboratório. A física por trás desse fenômeno desafia a teoria estabelecida por Griffith em 1921.

A verdadeira revolução reside na trajetória das rachaduras. Enquanto o grafeno permite movimentos previsíveis e lineares, por exemplo, ao encontrar uma rachadura, segue uma dança em zigue-zague direto pela sua estrutura hexagonal. No entanto, o nitreto de boro possui uma astúcia única. Devido às tensões contrastantes entre o boro e o nitrogênio, suas rachaduras dançam bifurcadas, percorrendo trajetos intricados de uma extremidade a outra. Esse comportamento único confere uma resistência extraordinária, desafiando as leis tradicionais da mecânica de fraturas.

Rachaduras bifurcadas do nitreto de boro hexagonal (Imagem: Reprodução/Nature)
Rachaduras bifurcadas do nitreto de boro hexagonal (Imagem: Reprodução/Nature)

Do laboratório para o mundo: Nitreto de Boro Hexagonal como substituto do Grafeno

O palco está montado para uma revolução nas aplicações de materiais 2D. O nitreto de boro hexagonal, mais resistente e maleável que o grafeno, surge como o protagonista ideal para a fabricação de tecidos eletrônicos, adesivos inteligentes e até implantes médicos avançados, posicionando-o como uma alternativa eficiente para inovações e produção em larga escala.

Sua resistência ao calor e estabilidade química abre portas para aplicações eletrônicas de precisão e baixo consumo de energia. O futuro parece brilhante para o nitreto de boro, e os pesquisadores estão ansiosos para provar suas vantagens além dos limites do laboratório.

A jornada do nitreto de boro hexagonal está longe de terminar nos confins do laboratório. Os pesquisadores estão determinados a levar esse herói material para o cenário mundial, testando-o em dispositivos reais. A visão é clara: tornar o nitreto de boro uma alternativa não apenas viável, mas superior ao grafeno em aplicações em larga escala.

Este é um convite para testemunhar a ascensão de um novo campeão dos materiais, moldando o futuro da tecnologia e da inovação, onde a ciência desafia o status quo e promete transformar o cenário da nanotecnologia e abrir portas para aplicações revolucionárias em diversas áreas da indústrias.

Fonte: Nature

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Flavia Marinho

Flavia Marinho é Engenheira de Produção pós-graduada em Engenharia Elétrica e Automação, com vasta experiência na indústria de construção naval onshore e offshore. Nos últimos anos, tem se dedicado a escrever artigos para sites de notícias nas áreas da indústria, petróleo e gás, energia, construção naval, geopolítica, empregos e cursos, com mais de 7 mil artigos publicados. Sua expertise técnica e habilidade de comunicação a tornam uma referência respeitada em seu campo. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal.

Compartilhar em aplicativos
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x