Início Relatório da UNCTAD comprova que custos de transporte marítimo de cargas nos portos mundiais cresceram quase 60% em 2022, principalmente em decorrência aos acontecimentos na Ucrânia

Relatório da UNCTAD comprova que custos de transporte marítimo de cargas nos portos mundiais cresceram quase 60% em 2022, principalmente em decorrência aos acontecimentos na Ucrânia

30 de junho de 2022 às 03:56
Compartilhe
Siga-nos no Google News
Impulsionados por diversos problemas no setor de portos, mas principalmente pelos conflitos com a Ucrânia, os custos de transporte marítimo de cargas cresceram quase 60% durante o ano de 2022, segundo dados do relatório da UNCTAD.
Foto: Pixabay

Impulsionados por diversos problemas no setor de portos, mas principalmente pelos conflitos com a Ucrânia, os custos de transporte marítimo de cargas cresceram quase 60% durante o ano de 2022, segundo dados do relatório da UNCTAD.

Um recém-lançado relatório da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) trouxe dados acerca do setor portuário internacional e, para essa quinta-feira, (30/06), o cenário de movimentação de cargas não é nada favorável. Isso, pois, segundo o órgão, os custos de transporte marítimo nos portos sofreram um aumento de quase 60% ao longo do ano de 2022, impulsionados pela guerra entre a Rússia e Ucrânia e por fatores relacionados ao período da pandemia.

Custos de transporte marítimo de cargas entre portos mundiais foram elevados em quase 60% desde o início dos conflitos com a Ucrânia, diz UNCTAD

Desde o início do ano de 2022, quando os primeiros conflitos entre a Ucrânia e a Rússia eclodiram no cenário geopolítico internacional, o mercado global sofreu uma série de impactos, uma vez que diversos setores foram influenciados pela disparidade política entre os países. E, dentro desses segmentos, o setor de portos foi um dos mais afetados, impactando, consequentemente, a cadeia de abastecimento de cargas em diversos países inteiro.

Artigos recomendados

Isso acontece, pois, o setor perdeu acesso a grande parte do Mar Negro, além de ter envios diminuídos por contas dos embargos contra a Rússia. Assim, grande parte da produção agrícola da Ucrânia, essencial para o abastecimento de diversos países, deixou de passar por operações de transporte marítimo, causando um efeito dominó em todo o mundo.

Dessa forma, os custos de transporte marítimo de cargas no mundo inteiro sofreram um aumento de quase 60% até o mês de maio deste ano de 2022, segundo o relatório lançado pela UNCTAD. 

A UNCTAD ainda alerta para diversos outros problemas que levaram a esse aumento significativo nos custos de transporte marítimo, mas reforça a influência dos conflitos nesse cenário: “No entanto, é claro que as interrupções e a maior demanda por tonelada-milha causada pela guerra na Ucrânia contribuem fortemente para o aumento dos custos de envio”. E, nas consequências do conflito, as mais nocivas ao setor de portos foram a interrupção de redes de logística regional e das operações portuárias na Ucrânia, a destruição de infraestruturas importantes e as várias restrições comerciais realizadas ao longo do ano. 

Guerra com a Ucrânia não é o único fator para os altos custos de transporte marítimo, aponta UNCTAD, que alerta para impactos na economia dos países

Apesar do relatório da UNCTAD comprovar o forte impacto dos conflitos com a Ucrânia no cenário mundial para o momento de instabilidade nos custos de transporte marítimo atuais, o órgão ainda aponta outros problemas no setor de portos.

Entre eles, estão as consequências da pandemia do COVID-19 no mercado internacional, como portos congestionados e a necessidade de realizar transição energética, sendo outros fortes fatores que influenciaram na alta dos transportes via mar.

Um dos principais resultados dos altos custos de transporte marítimo de cargas no mundo inteiro é o impacto nos preços dos alimentos em diversos países. Isso, pois, o relatório da UNCTAD comprovou que o custo com comida foi elevado em até 4% durante o ano de 2022, um aumento significativo, principalmente para as parcelas mais pobres da população mundial. Assim, os conflitos não só causaram problemas estruturais e operacionais, como também socioeconômicos nos países. 

Agora, a expectativa é que a expansão nas operações de transporte marítimo, principalmente a exportação, possam reverter esse cenário. Assim, a UNCTAD projeta que o Brasil deva aumentar em 37% suas exportações de trigo e grãos em 2022, ao passo onde o Reino Unido e a União Europeia devem expandir suas exportações em 8% durante o mesmo ano.

Curtiu? Apoie nosso trabalho seguindo nossas redes sociais e tenha acesso a conteúdos exclusivos. Não esqueça de comentar e compartilhar.
Facebook Facebook
Twitter Twitter
LinkedIn LinkedIn
YouTube YouTube
Instagram Instagram
Telegram Telegram
Google News Google News

Relacionados
Mais recentes