MENU
Menu
Início Mundo alarmado: Alta nos preços do petróleo significa alta nos preços dos combustíveis ?

Mundo alarmado: Alta nos preços do petróleo significa alta nos preços dos combustíveis ?

9 de outubro de 2023 às 10:38
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Petróleo - preços do petróleo
Fonte: reprodução minaspetro.com.br

Conflito Israel-Hamas impulsiona preços do petróleo, que sobe significativamente neste dia 09

A instabilidade no Oriente Médio tem mais uma vez agitado os mercados internacionais de petróleo, com o conflito entre Israel e o grupo militante Hamas impactando diretamente os preços do petróleo, segundo o Infomoney. A abertura do mercado de petróleo nesta semana foi marcada por fortes altas, e o valor do barril do óleo tipo Brent subiu 3,74%, atingindo US$ 87,74, enquanto o óleo tipo WTI aumentou 3,94%, alcançando US$ 86,05. Essa alta pode se agravar ainda mais se o conflito ameaçar as rotas de distribuição pelo Canal de Suez, os oleodutos de Sumed e o Golfo Pérsico.

O impacto das guerras nos preços do petróleo

O histórico de conflitos no Oriente Médio, como a guerra entre Rússia e Ucrânia em 2022, demonstra a influência direta dessas situações no mercado de petróleo. Durante esse período, o preço do barril chegou a ultrapassar os US$ 100 dólares. A tendência atual é de que as cotações se mantenham pressionadas devido à incerteza em torno da duração e da extensão do conflito entre Israel e o Hamas, uma vez que essa região desempenha um papel crucial no setor de petróleo no mundo.

Artigos recomendados

Desafios e perspectivas para o mercado de petróleo

Embora a guerra no Oriente Médio tenha potencial para impactar significativamente os preços do petróleo, vale ressaltar que a situação atual é muito diferente da crise de 1973. Naquela época, os conflitos entre Israel e seus vizinhos árabes resultaram em embargos ao petróleo, triplicando os preços. Hoje, os passos estão sendo dados com mais cautela, e o mercado conta com uma oferta de petróleo muito mais abundante do que há cinco décadas.

A postura dos Estados Unidos e da Arábia Saudita também é fundamental. O Presidente Joe Biden expressou apoio a Israel, enquanto a Arábia Saudita, o maior produtor mundial de petróleo, deseja estabilizar o mercado. No entanto, analistas internacionais preveem complicações temporárias na oferta e demanda de petróleo, especialmente se as tensões se intensificarem.

A guerra em Gaza tem causado um impacto direto nos preços do petróleo, gerando preocupações em todo o mundo. Embora a situação seja instável, as circunstâncias atuais e as decisões das principais potências globais indicam que o mercado de petróleo pode não enfrentar uma crise tão profunda quanto a de 1973. No entanto, a volatilidade persistirá enquanto o conflito perdurar, afetando os preços do petróleo e, consequentemente, os preços dos combustíveis em várias partes do mundo.

Petróleo x preços dos combustíveis

Os preços da gasolina e do óleo diesel já atingiram os níveis mais elevados de 2023 e há previsões de um aumento adicional até o final do ano. De acordo com especialistas, a tendência é que esses valores continuem a ser pressionados, principalmente devido a acontecimentos no cenário internacional. A escassez na oferta de petróleo tem um impacto direto sobre os preços, seguindo a lei básica do mercado: quando há menos produto disponível, os preços tendem a subir. Com as incertezas relacionadas à China e guerras, dentre outros fatores em jogo, alguns analistas chegaram a prever que o preço do barril poderá atingir a marca de US$ 100 até o final deste ano.

Fonte: Youtube/Uol

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR