MENU
Menu
Início MODEC assume desafio épico: Construir o ‘Monstro dos Mares’, considerado um dos FPSOS mais difíceis da história

MODEC assume desafio épico: Construir o ‘Monstro dos Mares’, considerado um dos FPSOS mais difíceis da história

10 de maio de 2023 às 20:30
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Modec, Equinor, Bacia de Campos, Fpso
Reprodução, FPSO Modec e Equinor. Fonte: Abb

A Modec foi contratada pela Equinor, que objetiva a construção de um FPSO que será instalado na Bacia de Campos

A MODEC, fornecedora japonesa de FPSO, firmou um contrato de compra e venda (SPA) com a Equinor Brasil Energia Ltd para fornecer uma embarcação flutuante de produção, armazenamento e descarga (FPSO) destinada ao cluster formado pelos campos Pão de Açúcar, Seat e Gávea, na Bacia de Campos offshore no Brasil. Esse projeto recentemente sancionado pela Equinor Noruega tem reservas recuperáveis de gás natural e óleo condensado acima de um bilhão de barris de óleo equivalente, com investimentos de cerca de US$ 9 bilhões.

FPSO complexo na Bacia de Campos com foco na redução de emissões de GEE

O FPSO que será fornecido pela MODEC para a Equinor no projeto da Bacia de Campos offshore é descrito como “uma das instalações mais complexas da história da MODEC”. Ele terá a capacidade de lidar com grandes volumes de gás exportado, com foco principal na redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE) na Bacia de Campos. O projeto está previsto para iniciar as operações em 2028 na Bacia de Campos, com o conceito selecionado baseado em um FPSO capaz de processar gás e óleo condensado e especificá-los para venda sem a necessidade de processamento posterior em terra.

Artigos recomendados

O bloco BM-C-33, onde o FPSO da MODEC e da Equinor operará, na Bacia de Campos, foi descoberto pela Repsol Sinopec em 2010, e a Equinor assumiu a operação em 2016. A participação da Equinor neste bloco é de 35%, enquanto a Repsol Sinopec Brasil e a Petrobras detêm 35% e 30% de participação, respectivamente. Em março de 2021, os parceiros aprovaram o conceito de desenvolvimento do BM-C-33, e a Equinor tomou a decisão final de investimento para desenvolver o projeto em maio de 2023.

Redução de emissões de GEE e o papel do FPSO da MODEC

O FPSO fornecido pela MODEC para a Equinor no projeto da Bacia de Campos offshore é projetado com a capacidade de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera. A instalação flutuante será capaz de lidar com grandes volumes de gás exportado, o que é crucial para o projeto. Com a seleção da MODEC para fornecer essa embarcação complexa, a empresa japonesa reforça sua posição de liderança no mercado global de FPSO. O projeto na Bacia de Campos também enfatiza a importância da indústria offshore na transição energética, com foco em operações sustentáveis e eficientes.

Com o contrato assinado, a MODEC e a Equinor Brasil Energia estão trabalhando em conjunto para garantir que todas as especificações do projeto sejam atendidas. O FPSO da MODEC será crucial para o sucesso do projeto da Bacia de Campos offshore, fornecendo a capacidade de processar grandes volumes de gás e petróleo/condensado, enquanto reduz as emissões de GEE.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR