MENU
Menu
Início Fiemg apresenta dados sobre potencial de expansão de produção de biogás e biometano no estado de Minas Gerais

Fiemg apresenta dados sobre potencial de expansão de produção de biogás e biometano no estado de Minas Gerais

15 de julho de 2022 às 23:32
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
A Fiemg agora busca atrair mais investimentos para o setor dos biocombustíveis em Minas Gerais e apresentou dados sobre o potencial de crescimento da produção de biogás e biometano no estado, que é o segundo maior no país quanto à capacidade de geração.
Fonte: RPA News

A Fiemg agora busca atrair mais investimentos para o setor dos biocombustíveis em Minas Gerais e apresentou dados sobre o potencial de crescimento da produção de biogás e biometano no estado, que é o segundo maior no país quanto à capacidade de geração.

Na última terça-feira, (12/07), a Câmara da Indústria de Energia, Petróleo e Gás e o Conselho de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) apresentaram ao Governo de Minas um relatório sobre o potencial do estado quanto à produção de biometano e biogás. Dessa forma, foi ressaltado o grande salto que a região pode dar com os investimentos necessários no setor durante os próximos anos.

Estado de Minas Gerais possui alto potencial de expandir a produção de biocombustíveis nos próximos anos, aponta relatório da Fiemg

O relatório da Fiemg quanto ao potencial de produção de biocombustíveis no estado de Minas Gerais se chama “Propostas de Políticas para fomento ao biogás em Minas Gerais”, conforme divulgado pelo jornal Diário do Comércio, e foi apresentado ao governo do estado nesta última terça-feira. Dessa forma, a Fiemg destacou que a região pode gerar 1.3 bilhão de metros cúbicos normal (Nm3) do energético por ano.

Artigos recomendados

Além disso, também foi apontado que Minas Gerais pode expandir em 10 vezes a capacidade instalada nesse segmento, uma vez que tem potencial para ir de 33 MW de potência instalada para 308 MW, caso consiga os investimentos necessários para o desenvolvimento de projetos e empreendimentos nesse setor.

Assim, a gerente de energia da Fiemg, Tânia Mara Santos para o Diário do Comércio, destacou a relevância do estado no setor e disse: “Nós somos o segundo estado com maior potencial gerador de biogás e biometano do País. Esses energéticos partem de resíduos agroindustriais, de aterros sanitários e dos próprios resíduos industriais, cujos insumos são importantíssimos para que este mercado possa incrementar negócios, emprego e renda. Inclusive, estamos buscando investidores, tendo um grupo interessado neste investimento”.

E, além de contribuir com a economia e o mercado de biocombustíveis, a produção de biogás e biometano em Minas Gerais também possibilita uma alta redução de impactos ambientais. Isso, pois, no relatório, consta a redução de 12,8 milhões de toneladas em emissão de gás carbônico por ano. Dessa forma, o Estado poderá substituir combustíveis tipicamente comuns no mercado pela adoção dos biocombustíveis.

Minas Gerais já conta com investimentos previstos em torno de R$ 7,7 bilhões para mercado de produção de biometano e biogás

O relatório da Fiemg quanto à produção de biometano e biogás no estado de Minas Gerais ainda apontou quais são os investimentos previstos para o setor. Dessa forma, foi apontado pelo estudo que existem cerca de dez propostas em fase de solicitação, com investimentos de R$ 7,7 bilhões. 

Para que esses empreendimentos sejam levados adiante, o estado estuda alguns benefícios para atrair investidores, entre eles, a solicitação de redução das alíquotas sob os impostos de biogás e biometano, com a finalidade de acelerar o desenvolvimento deste mercado, como forma de incentivar o desenvolvimento de projetos para essa produção na região. 

Por fim, as previsões da Fiemg ainda apontaram que o mercado de biogás e biometano pode, durante os próximos anos, entre cinco e dez, gerar 60 mil empregos diretos e indiretos e um aumento da massa salarial em R$ 1 bilhão, contribuindo de forma significativa para o crescimento socioeconômico do estado. 

Dessa forma, a federação pretende trabalhar junto do governo do estado para garantir que esses investimentos sejam atraídos da melhor forma, com objetivo de expandir a presença de Minas Gerais na economia nacional.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR