MENU
Menu
Início Evolução no ambiente energético: Mais de 800 novos consumidores migraram em setembro

Evolução no ambiente energético: Mais de 800 novos consumidores migraram em setembro

31/10/2023 às 23:07
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Mercado livre de energia
Foto: https://www.enelenergialivre.com.br/

Sul e Sudeste lideram, mas o Nordeste mostra seu potencial com estados emergentes no mercado livre de energia.

O ritmo de adesão ao mercado livre de energia está em constante ascensão, com consumidores ávidos por escolher seus fornecedores e estabelecer contratos sob medida. Em uma recente apuração da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), foi constatada a entrada de 800 novos consumidores em setembro. Isso significa que agora temos 36.329 unidades operando neste segmento.

A expressiva adesão de 2023: um marco para o mercado livre

Artigos recomendados

Desde o início do ano, impressionantes 5.627 consumidores decidiram migrar, deixando para trás os tradicionais serviços de distribuição. Esse fluxo de migração, quando comparado ao mesmo período de 2022, disparou 68%. Vale destacar que o mercado livre de energia já é responsável por suprir mais de 37% da demanda elétrica do Brasil. E a expectativa é de que essa porcentagem cresça ainda mais após 2024, quando o setor se abrirá para todos os consumidores de alta tensão.

Durante os nove primeiros meses deste ano, São Paulo liderou em migrações. No entanto, outros estados, como Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Paraná e Minas Gerais, também apresentaram números expressivos. Enquanto estas regiões mantêm sua tradicional posição de destaque, em grande parte devido à concentração de indústrias e empresas de porte significativo, o Nordeste vem ganhando terreno. Estados como Pernambuco e Bahia estão despontando neste cenário.

Preparativos para 2024: uma transição mais fluída.

Com a portaria nº 50/2022 do Ministério de Minas e Energia (MME) prevendo uma maior flexibilidade nos critérios de entrada a partir de 2024, a CCEE desempenhou um papel fundamental. A Câmara, em colaboração com o MME e a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), busca iniciativas que facilitem a transição para o mercado livre. A visão é assegurar uma expansão contínua, estável e equilibrada deste mercado.

Adicionalmente, como parte de suas estratégias, a CCEE já disponibilizou seus sistemas para registrar consumidores de pequeno e médio porte que têm planos de migrar no próximo ano. Isso facilitará o cadastramento prévio destes consumidores pelas empresas que irão representá-los, tornando todo o processo mais eficaz e estruturado.

Sobre a CCEE: A CCEE, uma entidade sem fins lucrativos, desempenha um papel crucial na facilitação da compra e venda de energia no Brasil. Desde 1999, seu compromisso tem sido unificar geradores, distribuidores, comerciantes e consumidores com o objetivo de cultivar mercados eficientes e sustentáveis em prol da sociedade. Nas operações da CCEE, que englobam tanto o ambiente de contratação livre quanto o regulado, mais de R$ 150 bilhões são liquidados anualmente.

Fonte: Fábio Souza – FSB.

Inscreva-se
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks
Visualizar todos comentários
Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR
0
Adoraríamos sua opnião sobre esse assunto, comente!x