BID e MInfra irão investir US$ 450 mil no desenvolvimento de projetos ferroviários no Brasil

Roberta Souza
por
-
13-10-2020 08:12:20
em Logística e Transporte
BID, MInfra, ferroviários, projetos Ferrovia

Um dos projetos ferroviários da parceria entre o BID e MInfra, foi aprovado pelo Ibama para instalação da Ferrovia de Integração Centro-Oeste

O Ministério da Infraestrutura – Minfra e o Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID assinaram um acordo de cooperação técnica para apoiar o desenvolvimento de projetos ferroviários. Ao todo, serão destinados US$ 450 mil para melhorar o modal ferroviário no Brasil. Pelos termos assinados no contrato, serão desenvolvidos instrumentos para a análise preliminar de projetos, a fim de estimular a otimização e melhorias no sistema de transporte ferroviário. Com a modernização dos ativos, espera-se atrair mais a atenção dos investidores.

Veja também outras notícias:

Natália Marcassa, secretária de Fomento, Planejamento e Parcerias do MInfra, disse que “A cooperação técnica firmada com o BID nos ajudará muito na melhoria regulatória das concessões ferroviárias. A partir desta parceria e dos recursos que receberemos do BID, será dado mais um importante passo para o fortalecimento do modal ferroviário. Essa é uma iniciativa fundamental para avançar com o equilíbrio da nossa matriz de transportes”.

O projeto irá investir US$ 450.000, que também inclui a análise de outros instrumentos financeiros para promover projetos ferroviários de infraestrutura greenfield e brownfield. Além disso, inclui a análise das necessidades existentes de pesquisa e avaliação de risco da sustentabilidade socioeconômica dos sistemas instalados, pesquisa sobre o impacto dos projetos de transporte ferroviário de mercadorias ou passageiros, revisão das regulamentações federais, workshops e eventos para promover a troca de experiências.

Morgan Doyle, o representante do BID no Brasil, disse que “Queremos ajudar o Brasil a fazer mais com menos e sabemos que o setor ferroviário pode não somente impulsionar a economia, gerando empregos e reduzindo custos logísticos, mas também contribuir para a redução da emissão de gases de efeito estufa”.

Na semana passada, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis ​​(Ibama) concedeu licença para a instalação da Ferrovia Integrada Centro-Oeste (FICO). Portanto, do ponto de vista da proteção ambiental, esses projetos podem começar já no próximo ano. A extensão é de 383 quilômetros ligará o Vale do Araguaia, região produtiva e em desenvolvimento do Mato Grosso, com a Ferrovia Norte-Sul, que facilitará o escoamento da safra para Santos (SP), Itaqui (MA) e futuramente Ilhéus (BA).

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe