MENU
Menu
Início Azevedo & Travassos, primeira empresa privada a produzir petróleo no Brasil, se prepara para retornar à produção e ter 1º óleo ainda em 2023

Azevedo & Travassos, primeira empresa privada a produzir petróleo no Brasil, se prepara para retornar à produção e ter 1º óleo ainda em 2023

16 de agosto de 2023 às 17:17
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Com um histórico de pioneirismo e um foco estratégico bem delineado, a Azevedo & Travassos se posiciona para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades do setor de petróleo e gás.
Foto: 1971yes | Getty Images/iStockphoto

Com um histórico de pioneirismo e um foco estratégico bem delineado, a Azevedo & Travassos se posiciona para enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades do setor de petróleo e gás.

A renomada empreiteira Azevedo & Travassos (A&T) está se preparando para fazer um retorno marcante ao setor de óleo e gás, projetando voltar à produção de petróleo até o final deste ano. O anúncio foi feito pelo presidente do conselho de administração da empresa, Gabriel Freire, durante um evento para investidores realizado na noite de terça-feira na cidade de São Paulo. A reentrada da A&T no segmento pode envolver uma oferta subsequente de ações (“follow-on”) ou um aumento de capital para financiar as atividades promissoras.

Veja: Azevedo & Travassos entra como primeira empresa privada a explorar petróleo

Fonte: BM&C News

Tradicional empreiteira busca retomar atividades no setor de óleo e gás com estratégia ambiciosa

Com uma história que remonta à sua oferta inicial de ações (IPO) em 1984, a Azevedo & Travassos teve uma trajetória notável no setor de petróleo, tornando-se a primeira empresa privada a produzir petróleo no Brasil.

Artigos recomendados

No entanto, há mais de duas décadas, a empresa havia deixado o setor produtivo.

Agora, com a criação de uma nova subsidiária denominada Azevedo e Travassos Petróleo (ATP), a empresa planeja retomar suas atividades no ramo de petróleo e gás.

Embora evitando fornecer projeções específicas sobre a produção da empresa, Freire expressou sua confiança de que a A&T retomará a produção ainda este ano.

A estratégia inicial da companhia engloba a consolidação de micro e pequenos produtores de campos maduros terrestres, particularmente na região Nordeste.

Por meio de aquisições estratégicas e parcerias, a empresa almeja ampliar sua presença no mercado e participar de licitações para exploração de poços maduros onshore atualmente pertencentes à Petrobras.

Quando questionado sobre o financiamento necessário para uma operação que demanda investimentos intensivos, Freire destacou a possibilidade de um “follow-on” ou aumento de capital, dada a natureza de empresa de capital aberto da A&T.

Ele afirmou que a empresa está no processo de quantificar os investimentos requeridos, delineando assim os próximos passos da companhia.

Durante o evento, a presença do investidor Nelson Tanure, detentor de uma fatia relevante na petroleira Prio, gerou especulações sobre uma possível colaboração entre as duas empresas.

No entanto, Freire esclareceu não haver negociações em andamento para tornar Tanure um investidor na Azevedo & Travassos.

O chairman descreveu Tanure como um “mentor” e “grande inspirador” do projeto, destacando sua influência positiva.

Ações da Azevedo & Travassos operam em alta após anúncio de retorno à produção de petróleo

As ações da Azevedo & Travassos apresentaram uma alta significativa de cerca de 13% na B3, a bolsa de valores brasileira, no dia seguinte ao anúncio.

Freire expressou sua visão otimista para a nova empreitada, afirmando que a ATP tem o potencial de ser “muito maior” do que a própria Azevedo & Travassos.

Com um faturamento de aproximadamente 480 milhões de reais no ano passado e uma receita crescente que atingiu 330 milhões de reais apenas no primeiro semestre de 2023.

A empresa está preparada para buscar oportunidades de aquisições e parcerias que fortaleçam sua posição no mercado.

Freire também destacou o papel da empresa irmã da ATP, a Heftos, que presta serviços de manutenção e descomissionamento de poços de petróleo maduros.

Através da Heftos, a A&T identificou oportunidades de parceria e investimento em poços maduros, respondendo à crescente demanda por aumento de produtividade nesse setor.

Freire observou a tendência natural da Petrobras em se desfazer de poços maduros, abrindo portas para a A&T consolidar sua presença.

Além das ambições nacionais, a Azevedo & Travassos está de olho em oportunidades internacionais.

Freire revelou que, em um segundo momento, a empresa buscará expansão para países da América do Sul, como Bolívia, Equador e Venezuela, vislumbrando uma expansão ainda mais abrangente no setor de petróleo e gás na região.

Com um futuro promissor, a Azevedo & Travassos está determinada a marcar sua posição como uma peça significativa no mercado de petróleo e gás.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR