MENU
Menu
Início ANP deve incluir 2 blocos da Bacia do Tacutu em leilão de oferta permanente para incentivar mercado de energia em Roraima

ANP deve incluir 2 blocos da Bacia do Tacutu em leilão de oferta permanente para incentivar mercado de energia em Roraima

5 de dezembro de 2022 às 12:21
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
Os indícios de jazidas de petróleo e gás natural em Roraima podem atrair fortes investimentos para o setor de energia local. A ANP deve então incluir cerca de 2 blocos da Bacia do Tacutu no leilão de oferta permanente nacional.
Foto: SINAGENCIAS

Os indícios de jazidas de petróleo e gás natural em Roraima podem atrair fortes investimentos para o setor de energia local. A ANP deve então incluir cerca de 2 blocos da Bacia do Tacutu no leilão de oferta permanente nacional.

Para esta segunda-feira, (05/12), a Agência Nacional de Petróleo e Biocombustíveis (ANP) está planejando incluir cerca de 2 blocos de exploração da Bacia de Tacutu no leilão de oferta permanente nacional. O principal objetivo é incluir a região de Roraima no Sistema Interligado Nacional (SIN) e expandir os investimentos no setor de energia. Isso, pois existem indícios de jazidas de petróleo e gás natural na região da bacia, segundo estudos recentes.

Inclusão de blocos da Bacia do Tacutu em leilão de oferta permanente da ANP pode atrair fortes investimentos para o mercado de energia do estado

A ANP está planejando incentivar os investimentos no segmento de petróleo e gás natural no Norte do país e pretende incluir 12 blocos de exploração da região no leilão de oferta permanente de concessão.

Artigos recomendados

Desses 12 blocos, 2 serão da área da Bacia do Tacutu, em Roraima, e visam contribuir com os investimentos no segmento de energia da região.

Existem estudos que apontam indícios de jazidas de petróleo e gás natural nessa área. Esses estudos indicam que existe uma separação geológica bem clara entre as bacias petrolíferas da Venezuela e a bacia do Tacutu que abrange partes de Roraima e da Guyana.

Durante a década de 70, a Petrobras realizou a perfuração de três poços na região da Serra do Tucano, município de Bonfim, tendo achado bons indícios de gás natural.

No entanto, a empresa retirou as sondas e não deu continuidade ao plano de exploração de combustíveis na região.

Na vizinha Guyana já foi descoberto petróleo e gás pela empresa canadense Homeoil a mais de 20 anos atrás, tendo instalado na localidade de Miritizeiro, a poucos quilômetros de Roraima, uma “arvore de Natal” equipamento pronto para escoar a produção.

Dessa forma, os indícios de petróleo e gás natural nos blocos da Bacia do Tacutu voltam a ser pauta na ANP, que pretende utilizar o leilão da oferta permanente para expandir os investimentos na região.

Roraima pode ser incluída ao SIN e conseguir bons investimentos no segmento de energia com a inclusão dos blocos da Bacia do Tacutu no leilão de concessão

De acordo com a ANP, estudos preliminares apontam a possibilidade de descobertas de petróleo e gás natural na região, o que poderia incentivar a produção de energia por termelétricas.

Atualmente, o estado de Roraima é o único que ainda não está participando do SIN, causando fortes prejuízos ao segmento da energia elétrica na região.

Em 2013, pesquisadores da Universidade Federal de Roraima (UFRR) encontraram folhelhos negros na bacia sedimentar do rio Tacutu, e este material é um forte indício de que há reservatório de petróleo na região.

As pesquisas foram conduzidas pelos anos seguintes, confirmando as fortes evidências da existência de jazidas de petróleo e gás natural na região da Bacia do Tacutu.

Em 2020, um estudo realizado pela Universidade Federal de Roraima, sobre a possibilidade de haver petróleo e gás natural na bacia geológica do Rio Tacutu, foi credenciado pela ANP.

Dessa forma, todas as pesquisas estiveram encaminhadas e voltadas para a atração de investimentos no setor da energia na região de Roraima.

Agora, o estado aguarda a decisão da ANP quanto à inclusão dos blocos no leilão de oferta permanente de concessão, buscando expandir a presença do estado no mercado nacional.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR