MENU
Menu
Início Actemium firma grande contrato com a PRIO para o fornecimento de serviços de manutenção offshore na plataforma P-50, localizada na Bacia de Campos

Actemium firma grande contrato com a PRIO para o fornecimento de serviços de manutenção offshore na plataforma P-50, localizada na Bacia de Campos

31 de janeiro de 2023 às 13:48
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
O contrato prevê o fornecimento de serviços de manutenção offshore na plataforma da petroleira ao longo do período de permanência. A Actemium contribuirá para a continuidade da campanha da PRIO com o FPSO P-50 na Bacia de Campos.
Foto: Upstream online

O contrato prevê o fornecimento de serviços de manutenção offshore na plataforma da petroleira ao longo do período de permanência. A Actemium contribuirá para a continuidade da campanha da PRIO com o FPSO P-50 na Bacia de Campos.

Iniciando a semana com grandes novidades, a Actemium anunciou à imprensa, nesta terça-feira (31/01), mais um contrato importante no mercado de óleo e gás nacional. Ela firmou um acordo de fornecimento de seus serviços de manutenção offshore com a companhia petroleira PRIO. Dessa forma, a plataforma FPSO P-50 contará com os serviços da empresa de engenharia para a sua integridade na campanha de exploração da Bacia de Campos.

Novo contrato da Actemium com a PRIO garantirá serviços de manutenção offshore na plataforma FPSO P-50, atracada na região da Bacia de Campos 

Após assumir a operação da plataforma FPSO P-50 da Petrobras na Bacia de Campos na última semana, a PRIO se prepara para investir na campanha de exploração na área.

Artigos recomendados

Com as críticas dos sindicatos dos petroleiros e ambientalistas quanto à embarcação na região, a empresa assinou um importante contrato para garantir a integridade do ativo.

Ela firmou um acordo com a Actemium para o fornecimento de serviços de manutenção offshore da empresa de engenharia na plataforma atracada na Bacia de Campos.

O contrato com a companhia prevê o fornecimento dos seguintes serviços de manutenção offshore: gestão do contrato, serviços de instalação offshore de estruturas (chapas, perfis e grades de piso), serviços de instalação offshore de tubulação e disponibilização de equipamentos.

Além disso, estarão inclusos no pacote serviços de abertura e fechamento de equipamentos mecânicos (vasos, filtros, tanques, trocadores de calor, etc.), preparação de superfícies e pintura, serviços de elétrica e instrumentação.

Por fim, a Actemium fornecerá à plataforma FPSO P-50 da PRIO atividades de fabricação onshore de estruturas e tubulações metálicas.

A empresa vem investindo cada vez mais na qualidade de seus serviços de manutenção offshore no mercado upstream nacional.

Assim, ela está garantindo uma melhor integridade dos ativos de diversas companhias petroleiras em todo o país, como a PRIO.

O contrato para as operações na Bacia de Campos marca mais um passo dado pela Actemium no mercado de óleo e gás nacional, após vencer as últimas três edições do “Prêmio Melhores Fornecedores da Petrobras” como a melhor fornecedora de serviços de manutenção offshore.

Petroleiros denunciam riscos ao meio ambiente e solicitam interdição da plataforma FPSO P-50 da PRIO na Bacia de Campos

Em paralelo à notícia otimista do contrato com a Actemium para os serviços de manutenção offshore para garantir a integridade da plataforma FPSO P-50, a PRIO precisa lidar com críticas no cenário nacional.

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) enviou ofício a órgãos e entidades da administração pública federal, estadual e municipal nesta terça-feira.

A organização solicita a interdição imediata da plataforma na Bacia de Campos, em razão dos riscos ambientais causados pela P-50.

Os petroleiros destacam que a plataforma da PRIO está atualmente em processo de degradação devido à falta de manutenção, causando assim fortes impactos ao meio ambiente na região.

“Os turbo-geradores apresentam problemas no sistema de aquecimento de água, interferindo diretamente no mecanismo de separação e enquadramento de petróleo e água produzida e descartada”, destaca o documento.

Ainda segundo o Sindipetro-NF, o estado degradado da plataforma causa riscos à tripulação durante a sua operação.

Agora, com a assinatura do acordo da PRIO para os serviços de manutenção offshore da Actemium, a empresa espera manter a operação do FPSO em andamento.

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR