MENU
Menu
Início A USP, universidade pública de São Paulo, recebeu R$ 92 mil para disponibilizar curso técnico sobre blockchain e criptoativos, disponível também a não estudantes da instituição

A USP, universidade pública de São Paulo, recebeu R$ 92 mil para disponibilizar curso técnico sobre blockchain e criptoativos, disponível também a não estudantes da instituição

28/02/2022 às 12:18
Compartilhe
Compartilhar no WhatsApp
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no LinkedIn
Compartilhar no Telegram
Compartilhar no Twitter
Compartilhar no E-mail
Siga-nos no Google News
USP, São Paulo, curso técnico, criptoativos
Foto: Reprodução Google Imagens (via Pallotta Martins e Advogados)

O curso técnico da Universidade de São Paulo (USP) é voltado a assuntos como tecnologias descentralizadoras, criptoativos e blockchain

A Universidade de São Paulo (USP) divulgou seu novo curso técnico com pautas acerca da tecnologia dos criptoativos, que está disponível também para pessoas que não estão vinculadas à instituição paulista. Este curso técnico é uma parceria entre a universidade e a The Decentralization Foundation, ONG que doou US$ 18 mil (equivalente a R$ 92 mil) para que a realização do projeto fosse possível ainda neste ano de 2022.

Leia também:

O objetivo principal da The Decentralization Foundation, que é uma organização não governamental, é difundir a educação sobre criptoativos de modo descentralizado. Um de seus vieses é o de financiamento de custos em pesquisas que envolvem o setor.

De acordo com a matéria original da Exame, escrita por Gabriel Marques, doação da ONG para a Universidade de São Paulo se deu ainda durante o ano passado, mas veio a público apenas nesta quinta-feira, dia 24 de fevereiro, por meio do Diário Oficial do Estado de São Paulo. Segundo o conteúdo da publicação, a ONG forneceu US$ 18 mil à Universidade de São Paulo para o “desenvolvimento de um curso técnico com crédito sobre blockchain e outras tecnologias descentralizadoras a serem oferecidas na USP”. Além disso, a publicação também afirma que uma modalidade aberta do curso técnico também estará disponível de forma remota para todos, mesmo para aqueles alunos que não estiverem matriculados na USP.

Para os alunos da própria USP, o curso técnico com crédito será inserido na grade curricular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (POLI-USP).

Em parceria com o Tribunal de Contas do Estado do Ceará, a Universidade de São Paulo já havia oferecido uma série de discussões acerca de bitcoin e criptoativos. No ano passado, foi realizado um curso grátis de programação voltado apenas para mulheres, o Meninas Programadoras. Embora não tenha sido relacionado de modo direto a assuntos como criptoativos e blockchain, o curso também foi um indicador do aumento do interesse da instituição paulista pelo setor digital, que tanto tem se desenvolvido.

Sobre a Universidade de São Paulo

De acordo com o próprio site da instituição, a USP foi criada em 1934 e é uma universidade pública, mantida pelo Estado de São Paulo e ligada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico. O talento e a dedicação dos docentes, alunos e funcionários têm ganhado destaque em diferentes rankings mundiais, criados para medir a qualidade das universidades a partir de diversos critérios, principalmente os relacionados à produção científica.

Saiba mais sobre a USP: [USP] Universidade de São Paulo – Vídeo institucional [2012]

Dona das marcas Copagaz e Liquigás fecha parceria com a USP para desenvolver projeto de BioGLP, que emite até 80% menos carbono na combustão do que o de origem fóssil

Universidade de São Paulo (USP) assinou um acordo de cooperação com a Copa Energia. A Universidade vai auxiliar o grupo, dono das marcas Copagaz e Liquigás, a desenvolver nos próximos quatro anos um projeto BioGLP. A líder em fornecimento de gás no Brasil conta também com outro projeto, com a Universidade Federal do Mato Grosso do Sul.

A partir do investimento de cerca de R$ 600 mil da Copa Energia, a parceria com a Universidade de São Paulo (USP) vai formar mão de obra no setor para um pós-graduando, um mestrando e um doutorando, além do coordenador e vice-coordenador de pesquisa. Para saber mais, leia esta matéria sobre a USP na íntegra clicando aqui

Relacionados
Mais recentes
COMPARTILHAR