Weg e Praxis participarão do consórcio que está na licitação das corvetas

consórcio damen Saab recebe reforço
 

WEG e Praxis vão participar do consórcio Damen Saab na licitação das corvetas para a Marinha do Brasil

A WEG Equipamentos Elétricos e a Praxis Automation Technology, empresa holandesa na área de automação e navegação, assinaram no último dia 13, um memorando de entendimento para trabalhar em conjunto com a Damen e Saab na licitação realizada pela Marinha do Brasil para a construção de quatro Corvetas.
As empresas serão parceiras no fornecimento do Sistema Integrado de Gerenciamento de Plataforma (IPMS). A reunião que sacramentou a união contou com a participação de colaboradores da Damen, Saab e Estaleiro Wilson Sons (Construtor) e foi realizada no escritório da Damen Schelde Naval Shipbuilding, na Holanda.

Histórico de parcerias

A praxis e a Weg já fizeram outras parcerias no Brasil e possuem know-how de instalação de equipamentos em mais de 40 embarcações entregues pela Wilson Sons Estaleiros e com o projeto da Damen, como por exemplo, a construção do primeiro PSV diesel-elétrico do Brasil.
A WEG é uma empresa brasileira de tecnologia que, entre muitas outras atividades, atua na área de automação industrial e a praxis desenvolve, fabrica e distribui equipamentos inovadores de automação e navegação.

Após a participação de 9 consórcios na fase inicial da licitação, a Marinha do Brasil, por intermédio da Diretoria de Gestão de Programas da Marinha (DGePM), em coordenação com a Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), selecionou o “Short List” para o Projeto CCT (Corvetas Classe Tamandaré).

O Short list está composto pelos 4 consórcios: “ÁGUAS AZUIS” (Estaleiro construtor: Oceana-SC), “DAMEN SAAB TAMANDARÉ” (Estaleiro construtor: Wilson Sons-SP), “FLV” (Estaleiro construtor: Vard Promar-PE)e “VILLEGAGNON” (Estaleiro construtor: Enseada-BA).

As estimativas de custo para a construção dos quatro navios Corveta Tamandaré chegam a R$ 6,2 bilhões, cerca de US$ 1,6 bilhões e o resultado da licitação foi transferido de dezembro de 2018, para 30 de março de 2019. Ao que parece, a Marinha do Brasil quer dar ao novo governo tempo para se inteirar do processo.

Empreiteiras impedidas podem voltar a participar de licitações ! Clique aqui e leia !

The following two tabs change content below.
Renato Oliveira

Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships