Shell quer entrar no mercado brasileiro de geração de energia solar

Shell

Shell quer aumentar para US$ 3 bilhões os seus investimentos globais em novas energias e vê Brasil como prioridade no segmento de energia solar

A Shell tem uma equipe dedicada exclusivamente a buscar Projetos competitivos em energia solar no Brasil. Em alinhamento com a estratégia da empresa de investir em novas energias, a companhia pretende aumentar para cerca de US$ 3 bilhões os seus investimentos no mundo e para isso busca projetos competitivos no Brasil, pois considerar o país com muito potencial de crescimento no setor. Veja aqui ! Maior usina eólica da América do Sul será no Piauí.

Segundo declaração, dada ontem (19/09), do presidente da companhia no Brasil, André Araujo, “Estamos estabelecendo nossa equipe de novas energias. Temos um grupo já estabelecido na área solar e estamos buscando oportunidades de negócios. Não temos uma pressão de termos projetos numa data especifica, mas vamos buscar projetos que façam sentido e sejam competitivos. Em algum momento vai sair alguma coisa”.

A Shell já investe entre US$ 1,5 bilhão e US$ 2 bilhões por ano no mercado de energia renovável, e agora quer aumentar os valores para próximo dos US$ 3 bilhões já neste ano.
Segundo o presidente da Shell, “Há países que são prioritários [nos investimentos] e o Brasil é um deles”.

O gás natural

A Shell, nos próximos anos, será uma das maiores produtoras de gás natural do pré-sal e está querendo entrar para o mercado de geração de energia a gás ou vendendo para os grandes consumidores industriais do país.

Atualmente o grande cliente da companhia no Brasil é a Petrobras, mas a estatal brasileira se comprometeu junto ao CADE a não renovar os contratos de compra de gás de seus sócios nos campos de produção.

O presidente da companhia declarou no entanto, que o foco atual é encontrar compradores para o que a Shell vai produzir a mais e não para o gás que a Petrobras não comprar.
“Os contratos existentes terão que ser adequados, mas estamos olhando bastante as oportunidades de crescimento de volume… A grande oportunidade será em novos volumes, encontrar caminhos [para vender esse gás].”, declarou ele.

A participação da empresa no projeto da termelétrica de Macaé, RJ já é uma mostra de como pretende usar o gás do pré-sal. A intenção da Shell é antecipar a entrada em operação da usina prevista para 2023.

Leia também ! Petrobras inicia a venda de campos terrestres do Polo Tucano Sul, na Bahia !

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)