Sete Brasil e a crise na construção naval brasileira. Ré ou vítima ?

sete brasil e estaleiros
 

Mesmo com seu plano de recuperação aprovado, dívidas da Sete Brasil com os estaleiros agravaram situação da construção naval

Em meio a crise, a construção naval brasileira tenta sobreviver, mesmo estando na “CTI” e respirando com a ajuda de aparelhos, a Sete Brasil continua em sua luta para provar que não é ré no processo que apura as investigações da operação lava jato, a mesma constatou que, todos os negócios tinham que pagar 1% de propina para políticos e agentes públicos.  Nem mesmo a aprovação de seu plano de recuperação, com a decisão de reativar as obras de 4 das 28 sondas que haviam sido encomendas  em 2011 e 2012, absolve a parcela de culpa na crise pela qual passa a construção naval do país.

Duros golpes

A Sete Brasil, pediu recuperação judicial em junho de 2016, com dívidas de U$ 19,3 bilhões, boa parte dívidas com os estaleiros construtores, tais como Brasfels, Enseada, Atlântico Sul, Jurong e Rio Grande. Como senão bastasse, este não foi o único golpe recebido pela, já na época, combalida construção naval brasileira, a Transpetro cancelou o contrato de construção de 17 navios que eram parte do PROMEF (Programa de Modernização e Expansão da Frota).

Assim foi difícil assimilar tão duros golpes, visto que encomendas estrangeiras tem sido pouco frequentes, e a construção naval então “foi á pique”. O Sinaval, sindicato que representa os estaleiros, informa que 60 mil vagas foram fechadas nos últimos 4 anos e dos 28 estaleiros filiados, 12 estão fechados. Resta esperar o que reserva os anos de 2019 e 2020 com as demandas por FPSO’s em alta, mas com conteúdo nacional em baixa.

No início do ano, a Sete Brasil foi autorizada pela justiça a ser assistente de acusação da Procuradoria da República nas ações penais da lava jato, como já ocorre hoje com a Petrobras. Desta forma a empresa consegue o direito de pleitear ser declarada vítima da corrupção e pedir o ressarcimento de U$ 180 milhões pelo prejuízo, sendo U$ 70 milhões pelo pagamento de propinas. O Ministério Público foi contra o pedido, pois entende que a empresa era parte do esquema de corrupção.

Veja que 3 de cada 4 projetos de produção futuros virão do Pré-sal e sua influência na cadeia de Óleo e Gás.

Candidatos: Cadastrem seus currículos conosco | Empresas: Temos Soluções Incríveis que Ajudarão em Seus Recrutamentos

Você é recrutador ou esta a frente do Recursos Humanos de uma empresas sabe como é difícil recrutar o profissional ideal para sua empresa.  Sabemos como o processo de seleção é árduo porque muitas pessoas mandam seus currículos para funções que elas não tem atribuições, sobre-carregando os servidores e as vezes, obrigado até mesmo trocar de e-mail.    

Nós temos um sistema no qual é possivel escolher seus profissionais através de filtros, e mandar um único comando personalizado para as pessoas que passaram e não passaram no processo de seleção, isso com opção ou não de revelar seus contatos. Mas se desejar pesquisar seu candidato ideal em nosso banco de dados, também é possível, temos um grande Banco de Dados qual os melhores profissionais do Brasil com a sua área desejada de atuação. Acessem o nosso PORTAL DE VAGAS E EMPRESAS AQUI e experimente nossos recursos. Garantimos que vocês não irão se arrepender.

The following two tabs change content below.
Renato Oliveira

Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships