Seis gigantes brigam para perfurar poço da Petrobras

Sonda para perfurar na bacia de santos

A entrega das propostas foi feita nesta segunda-feira (14/1) e a comissão de licitação vem trabalhando na análise dos documentos financeiros.

Seis poderosas empresas de perfuração, Ensco, Transocean/Ocean Rig, Seadrill, QGOG Constellation e Petroserv e Pacific Drilling disputam a licitação da Petrobras para o afretamento de uma sonda na Bacia de Santos. O poço é o BM-S-11, na Bacia de Santos e a sonda deverá ter capacidade para perfurar em 2,4 mil metros e duas torres.

A Transocean/Ocean Rig disputa o processo com o DS Ocean Rig Apolo, em cold stack, a Ensco ofertou o DS-11, enquanto a Seadrill optou por vir com o navio-sonda West Tellus, que está operando para a Petrobras em Mero e a brasileira Petroserv concorre com navio-sonda Carolina. A Pacific Drilling não divulgou com qual unidade irá perfurar e a QGOG Constellation foi a única que apresentou propostas para dois navios-sondas Amaralina Star e Laguna Star.

Atraso na licitação

Nesta primeira fase da licitação, a análise dos documentos deve demorar, pelo menos duas semanas e as propostas comerciais sejam abertas entre fevereiro e março. O atual processo de licitação, tendo em vista vários adiamentos na entrega das propostas, teve que sofrer alteração no prazo de entrada de operação da sonda, ao invés de abril, conforme edital, a sonda deverá estar pronta para operar no final de agosto ou 120 dias após assinatura do contrato, o que ocorrer primeiro.

Como a Petrobras, conforme edital, vai ofertar um bônus (em pontuação) à empresa que disponibilizar uma sonda de duas torres, espera-se que a análise das propostas comerciais demore um pouco mais que o normal. A Petrobras também trabalha com a hipótese de novo adiamento na data de operação da sonda (para setembro ou outubro), visto que normalmente, ela demora cerca de dois e três meses nos processos de aprovação interna, existentes entre a abertura de preços e a assinatura do contrato.

O afretamento dessa sonda irá substituir os contratos das sondas Ocean Mykonos e Ocean Corcovado, da Ocean Rig que operam até maio e ficará afretada pelo prazo de dois anos, com possibilidade de prorrogação por igual período. O contrato prevê renegociação da taxa de afretamento entre as partes. O BM-S-11 é operado pela Petrobras (65%), em parceria com a Shell (25%) e Petrogal (10%) e resultou na descoberta de Lula e de outros campos.

Outro adiamento

Em paralelo a entrega das propostas do BM-S-11, a Petrobras adiou a entrega de propostas da licitação destinada ao afretamento de uma sonda para o chamado pool, com capacidade para operar em lâmina d´água de 2 mil metros. O prazo era 21 de janeiro, mas a comissão de licitação postergou em uma semana, remarcando a data para o dia 28 de janeiro.

Ao finalizar um processo para iniciar outro, especula-se que a Petrobras estaria adotando a mesma estratégia usada em Mero, ou seja, evitar que uma sonda bem classificada num processo possa ser ofertada na concorrência do pool, que operaria ao longo da costa sem locação definida, podendo operar do Norte a Sul e sua operação era prevista para setembro.

Dias Toffoli permite que ativos sejam vendidos ! Leia mais aqui !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)