Plataformas de Petróleo salvaram a Indústria Gaúcha em 2018

Indústria naval gaúcha

Enquanto alguns segmentos puxaram para baixo as exportações, a Indústria naval alavancou o ano de 2018 da indústria gaúcha

O ano de 2018 vai ficar marcado pela indústria gaúcha como o ano em que deverá agradecer e muito a construção naval. O registro de 22% de alta nas exportações muito se deve pela entrega das plataformas de Petróleo P-74 e P-75, que renderam US$ 2,8 bilhões à balança comercial do estado.
Se não fosse levado em conta estas transações, as vendas para o exterior terminariam o ano em queda de 0,5% se comparadas ao mesmo período de 2017, lembrando que a P-74 foi entregue em fevereiro pelo estaleiro EBR, de São josé do Norte e a P-75 também teve seus módulos construídos no sul.

Segundo o presidente da Fiergs, Gilberto Porcello Petry, o baixo desempenho das exportações gaúchas foi causado pela crise na Argentina, que comprou menos e pela diminuição das vendas para o exterior de carne de frango e suína. O setor de alimentos que é responsável por 15,1% do total exportado pelo Estado, também foi impactado pelos embargos da Rússia, que reduziu as exportações das carnes nos últimos dois anos.

Desempenho de cada setor

Os setores que se salvaram no ano foram o de Celulose e papel (78,7%), Coque e derivado do petróleo e de biocombustíveis (207%), Metalurgia (33,1%) e Madeira (9,6%) e os que decepcionaram foram o de alimentos (-6,6%), Químicos (-6,9%), Veículos automotores, reboques e carrocerias (-4,5%) e Materiais elétricos (-31,2%) dentre as 24 categorias para as quais houve algum embarque em 2018.

Os maiores compradores dos produtos gaúchos foram a China (14,2%, atingindo US$ 6,1 bilhões, principalmente soja), Holanda (671,6%, alcançando US$ 1,8 bilhão, valor atípico devido à plataforma de petróleo de US$ 1,5 bilhão), visto que normalmente os contratos são feitos com uma subsidiária da Petrobras, e Argentina (-21,5%, registrando US$ 1,5 bilhão, principalmente automóveis, caminhonetas e utilitários).

Pra fechar a balança comercial precisamos levar em consideração as importações do Rio Grande do Sul, que totalizaram US$ 11,3 bilhões em 2018, registrando crescimento de 13,7%. Os produtos mais comprados foram Bens intermediários (+15,8%, totalizando US$ 6,6 bilhões).

A Modec pode reativar o estaleiro EBR em São José do Norte. Uma licitação está em andamento ! Leia aqui !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships