Venda da Refinaria de Pasadena foi concluída

Petrobras vende Refinaria

Acordo foi finalizado nesta quarta-feira (30/1) entre as empresas e ainda vai passar por aprovação por órgãos no Brasil e nos Estados Unidos

A Petrobras acaba de informar nesta quarta-feira (30/1), que sua subsidiária Petrobras America Inc. (PAI) assinou o contrato de compra e venda (Share Purchase Agreement – SPA) com a americana Chevron U.S.A. Inc. (Chevron). O acordo é referente á venda integral das ações em posse da PAI das empresas pertencentes ao sistema de Refino de Pasadena nos Estados Unidos. o Click Petróleo e Gás havia informado no dia (29/1) que a Chevron havia concordado com a negociação e que qualquer comunicação sobre o negócio seria divulgado posteriormente.

O negócio

Os valores ficaram na ordem de S$ 562 milhões, sendo US$ 350 milhões pelo valor das ações e US$ 212 milhões de capital de giro (data-base de outubro/2018). Os valores finais dependem de ajustes de capital de giro até a data de fechamento da negociação.
Vale a pena lembrar que a Petrobras adquiriu a Refinaria de Pasadena em 2006 e o negócio levantou suspeitas de superfaturamento e evasão de divisas sendo alvo da operação lava jato da Polícia Federal. A aquisição da refinaria de Pasadena de deu em duas etapas, em 2006 e 2012, e acabou custando US$ 1,18 bilhão à petroleira nacional.

O negócio envolveu as sociedades Pasadena Refining System Inc. (PRSI), responsável pelo processamento de petróleo e produção de derivados, e PRSI Trading LLC (PRST), que atua como braço comercial exclusivo da PRSI, ambas de posse integral da Petrobras America Inc. (PAI). A PRSI possui capacidade de processamento de 110 mil bpd e está localizada na cidade de Pasadena, no Golfo do México, Texas.

A Refinaria é independente do Sistema Petrobras e pode operar com correntes de petróleos médios e leves e capaz de produzir derivados que são comercializados tipicamente no mercado doméstico americano.
A Petrobras informou que a conclusão da negociação ainda depende de condições pré estabelecidas, de praxe neste tipo de negócio, e de autorizações de órgãos controladores dos Estados Unidos e do Brasil.

Os chineses estão de olho em leilões de concessão na área de infraestrutura, mais precisamente os portos e ferrovias ! Leia tudo aqui !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships