Petrobras e Modec perto de acordo para construir FPSO de Búzios V

Petrobras e Modec negociam

Negociações entre Petrobras e Modec avançam e construção da FPSO de Búzios V fica perto de sair do papel

Conforme nosso portal Click Petróleo e Gás já havia informado, a estatal brasileira Petrobras e a japonesa Modec negociavam o afretamento da FPSO que irá operar no campo de Búzios V. As negociações avançaram e pode-se dizer que a primeira rodada foi um sucesso.
A negociação entre as empresas começaram depois do surgimento de um impasse entre a Petrobras e a Exmar que havia feito a melhor oferta.

De posse da segunda melhor proposta, a Modec, então foi chamada para negociar as taxas diárias de afretamento e hoje o acordo está bem próximo de acontecer, espera-se que até o final de março a contratação do FPSO de Búzios V esteja fechada.
Uma taxa diária de US$ 815 mil foi ofertada pela Modec, e a Exmar havia oferecido US$ 635 mil, agora Petrobras e Modec tentam chegar a um valor intermediário.

A Petrobras considera o acordo de vital importância para a empresa, pois se tivesse que lançar uma nova licitação, atendendo a lei das estatais 13.303/2016, o atraso certamente afetaria ainda mais o plano de negócios da empresa referente a 2019-2023, pois uma nova licitação levaria de 6 a 8 meses.
O Fracasso com a Exmar e a abertura de negociações com a Modec já fizeram a companhia adiar a data de entrada de operação da plataforma de 2020 para 2021.

E como fica o Conteúdo local ?

O edital da licitação promovida pela Petrobras previa duas propostas para cada empresa, uma com conteúdo nacional alto e outra baixa, mas como a proposta que continha o índice de nacionalização mais alto ficou dentro do orçamento da Petrobras, o segundo envelope nem chegou a ser aberto na época.

O FPSO de Búzios V vai produzir 180 mil b/d e processar 12 milhões de m³/d de gás ao norte do campo e ficará afretada por um período de 21 anos com possibilidade de renovação por igual período.

Outra licitação da Petrobras que está indo de vento em popa é a do Parque das Baleias e a Petrobras conta com propostas de duas empresas para afretamento das FPSOs. Acesse aqui e leia a matéria completa !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships