Petrobras assina contrato com multinacional da Malásia para afretamento de FPSO para o campo de Marlim

Kelly
por
-
31-03-2020 11:15:21
em Petróleo, Óleo e Gás
Petrobras Yinson FPSO Marlim Yinson FPSO

A empresa malaia Yinson fechou um acordo com a Petrobras para afretamento e operação do FPSO Marlim 2, que será utilizado em projetos da estatal brasileira para revitalização no campo de Marlim, localizado na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. A unidade deve iniciar sua produção em 2023 e o contrato tem validade por 25 anos. Sob contrato Petrobras, mais de 300 trabalhadores da terceirizada offshore Elfe serão demitidos esta semana.

Veja também

A Yinson apresenta uma extensa frota de embarcações flutuantes, de produção, armazenamento e descarregamento (FPSO & FSO) e embarcações de suporte offshore (OSV), além de fornecer equipamentos, tecnologia e capacidade essenciais para atender à demanda mundial de energia de operdoras como a Petrobras.

O FPSO Marlim 2 terá capacidade de processar até 70 mil bpd de petróleo e 4 milhões de m³/dia de gás natural. Da atual malha de drenagem do ativo em Campos, para o navio-plataforma, estima-se o remanejamento de 19 poços produtores e 15 injetores, os quais serão interligados através de manifolds submarinos e diretamente ao FPSO.

A Petrobras já havia anunciado um negócio de longo prazo com a MODEC em janeiro deste ano para afretamento de uma unidade flutuante também para uso no campo de Marlim.

O campo de Marlim situa-se a cerca de 110 km a leste do Cabo de São Tomé, no litoral norte do estado do RJ, na Bacia de Campos. A área coberta pelo seu ring fence abrange cerca de 257,6 km², distribuídos numa lâmina d´água que varia entre 620 e 1050m.

Contrato da Petrobras para um FPSO da BW Offshore expirou nesta segunda-feira (30)

A Petrobras ainda não se manifestou sobre o destino do FPSO Cidade São Mateus que estava afretado nos campos de Camarupim e Camarupim Norte antes do acidente. Leia a matéria completa aqui.

Tags: