Petrobras anuncia que primeiro óleo de Búzios V será somente em 2022

Petrobras

Atraso na entrada de operação do ativo se dá por conta do atraso no fechamento do contrato de afretamento do FPSO

A Petrobras acaba de comunicar um novo adiamento no primeiro óleo do campo de Búzios V, pertencente a cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos.
O projeto estava previsto para entrar em operação em 2020, mas com o atraso para fechar o contrato de afretamento (licitação já dura um ano) do FPSO que irá operar no campo, a empresa teve que postergar de 2021 para 2022, calcula-se um impacto de 60 mil boed na produção da companhia.

O anúncio foi feito pela Petrobras nesta segunda-feira (11/03), mas já era esperado pelo mercado devido ao imbróglio de afretamento do FPSO com a Exmar, que embora tenha apresentado o melhor preço, não conseguiu apresentar as garantias de financiamento.
Começou então, uma negociação direta com a Modec, segunda colocado no sentido de se chegar a um acordo em relação as taxas diárias de afretamento.

Espera-se que as negociações, que já se arrastam há cinco reuniões, tenham fim até o final deste mês, com o contrato sendo assinado apenas no final do mês de junho, devido a burocracia normal de um negócio deste porte.
Especula-se no mercado que a Modec vem fazendo pesquisa de cotação nos principais fabricantes de FPSO do mundo, e que um deles seria o estaleiro Cosco na China.

A Modec havia ofertado uma taxa diária de US$ 815 e a Exmar US$ 635 mil, a Petrobras tenta chegar a um acordo e especialistas afirmam que a Modec negocie até o patamar de US$ 750 mil.
Caso não haja acordo, a Petroleira brasileira terá que adiar novamente seu cronograma, pois negociações assim tendem a durar um ano e prazo para construção de um FPSO pode chegar a 36 meses.

O FPSO

O FPSO de Búzios V vai operar na parte norte do campo de Búzios e terá capacidade para produzir 180 mil b/d e processar 12 milhões de m³/d de gás. O contrato de afretamento é de 21 anos, podendo ser prorrogado por igual período.
Ao se confirmar tal negociação, a estatal brasileira terá cinco FPSO’s entrando em operação em 2022, pois já se contava com os projetos de Parque das Baleias e Marlim 1, ambos na Bacia de Campos, e Mero 2, em Santos.

Estatal brasileira agita o mercado de completação de poços ! Acesse aqui e leia a matéria completa !

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião do Click Petróleo e Gás.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)