Petrobras anuncia que primeiro óleo de Búzios V será somente em 2022

Petrobras anuncia que primeiro óleo de Búzios V será somente em 2022

março 13, 2019 Off Por Renato Oliveira

Atraso na entrada de operação do ativo se dá por conta do atraso no fechamento do contrato de afretamento do FPSO

A Petrobras acaba de comunicar um novo adiamento no primeiro óleo do campo de Búzios V, pertencente a cessão onerosa, no pré-sal da Bacia de Santos.
O projeto estava previsto para entrar em operação em 2020, mas com o atraso para fechar o contrato de afretamento (licitação já dura um ano) do FPSO que irá operar no campo, a empresa teve que postergar de 2021 para 2022, calcula-se um impacto de 60 mil boed na produção da companhia.

O anúncio foi feito pela Petrobras nesta segunda-feira (11/03), mas já era esperado pelo mercado devido ao imbróglio de afretamento do FPSO com a Exmar, que embora tenha apresentado o melhor preço, não conseguiu apresentar as garantias de financiamento.
Começou então, uma negociação direta com a Modec, segunda colocado no sentido de se chegar a um acordo em relação as taxas diárias de afretamento.

Espera-se que as negociações, que já se arrastam há cinco reuniões, tenham fim até o final deste mês, com o contrato sendo assinado apenas no final do mês de junho, devido a burocracia normal de um negócio deste porte.
Especula-se no mercado que a Modec vem fazendo pesquisa de cotação nos principais fabricantes de FPSO do mundo, e que um deles seria o estaleiro Cosco na China.

A Modec havia ofertado uma taxa diária de US$ 815 e a Exmar US$ 635 mil, a Petrobras tenta chegar a um acordo e especialistas afirmam que a Modec negocie até o patamar de US$ 750 mil.
Caso não haja acordo, a Petroleira brasileira terá que adiar novamente seu cronograma, pois negociações assim tendem a durar um ano e prazo para construção de um FPSO pode chegar a 36 meses.

O FPSO

O FPSO de Búzios V vai operar na parte norte do campo de Búzios e terá capacidade para produzir 180 mil b/d e processar 12 milhões de m³/d de gás. O contrato de afretamento é de 21 anos, podendo ser prorrogado por igual período.
Ao se confirmar tal negociação, a estatal brasileira terá cinco FPSO’s entrando em operação em 2022, pois já se contava com os projetos de Parque das Baleias e Marlim 1, ambos na Bacia de Campos, e Mero 2, em Santos.

Estatal brasileira agita o mercado de completação de poços ! Acesse aqui e leia a matéria completa !