Operador da Malásia deixa o mercado Offshore brasileiro

Grupo malaio
 

Dificuldades financeiras e desconfiança dos investidores foram a principal causa da saída da empresa do mercado brasileiro

Durou pouco, apenas 7 anos, a passagem do grupo Bumi Armada Berhad pelo Brasil. Depois de chegar em 2012 apostando no mercado de FPSO’s brasileiro, o grupo malaio resolveu deixar o país.
A empresa é considerada um dos gigantes do mercado de operação de FPSO’s, além de prestar serviços offshore, com isso  mercado perde um importante competidor.

As dificuldades financeiras do grupo aliadas, as expectativas não realizadas no Brasil, foram os principais fatores que levaram a empresa a perder a confianças dos investidores, e a consequente queda das ações na bolsa da Malásia, também compuseram o atual quadro em que chegou a empresa.

O prejuízo do grupo malaio no primeiro trimestre de 2018 chegou a R$ 449 milhões e mesmo não tendo sido divulgado o resultado dos últimos 3 meses do ano, o resultado negativo chegou a R$ 930 milhões em 2018.

Participação no Brasil

A Burmi começou a prestar serviços offshore, no Brasil, em 2012, e para a empresa foi um investimento estratégico, ingressar em um dos mercados de FPSO’s mais promissores do mundo.

Na época de sua entrada no Brasil, a empresa planejava operar de 6 a 8 FPSO’s da Petrobras e da OSX (empresa de Eike Batista que forneceria plataformas para a OGX).

A empresa disputou duas licitações importantes, mas perdeu ambas para a Modec, como o FPSO para o campo de Sépia e outra para o campo de Libra (Mero 1).
O fato de não operar nenhuma FPSO no Brasil acabou frustando as expectativas traçadas pela empresa, aliadas a baixa receita, apenas 2% das receitas da companhia vinham da América Latina, ajudaram na tomada de decisão de deixar o Brasil e se concentrar no Oriente Médio e na África, que hoje respondem por 42% de sua receita total .

Um imbróglio toma conta do campo de Atlanta, na bacia de Santos. A Queiroz Galvão e Barra Energia lutam para tirar a Dommo Ex-Ogx do consórcio BS-4. Saiba mais aqui !

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships