Home > Sem categoria

Obras em estaleiros à vista: Novo contrato celebrado para o FPSO P-68

Paulo Nogueira
por
-
16-09-2017 12:36:01
em Sem categoria
obras em estaleiro FPSO

A primeira entre muitas obras que estão por vir, o estaleiro Jurong Aracruz comemora este novo passo para retomada de atividades.

[supsystic-social-sharing id=’1′]Com os nossos estaleiros sucateados devido a crise econômica que atingiu toda indústria de construção e montagem naval, finalmente um prelúdio de otimismo começa no setor. o estaleiro Jurong Aracruz acabou de ganhar um contrato para montar o FPSO P-68 na modalidade CARRY OVER, o que abre um leque de novos precedentes para a economia e para quem é profissional deste ramo. A seguir, segue a transcrição da matéria do site Petronotícias 

ANÚNCIO

“Em tempos difíceis para o setor naval brasileiro, ao menos uma boa notícia. O estaleiro Estaleiro Jurong Aracruz (EJA), no Espírito Santo, que pertence ao grupo Sembcorp Marine, de Cingapura, ganhou um contrato de US$ 145 milhões para trabalhos de carry over do FPSO P-68.

O contrato foi assinado junto ao consórcio Tupi BV, que é formado por Petrobras Netherland BV, BG e Galp. Em julho de 2012, a Tupi BV concedeu à EJA o contrato de construção de módulos e integração do navio-plataforma P-68.

A embarcação vai operar no pré-sal da Bacia de Santos, com capacidade produtiva de 150 mil barris diários. A unidade poderá estocar até 1,6 milhão de barris de óleo e atuará em profundidade d´água de 2,2 mil metros.

O casco, que foi construído no Estaleiro Rio Grande, no Rio Grande do Sul, pesa 52 mil toneladas, tem 288 metros de comprimento, 54 metros de largura e 31,5 metros de pontal (altura do fundo dos tanques até o convés principal).” Fonte: PetroNotícias


⇒ Participe dos nossos grupos do Telegram e fique atento a todas as notícias do mercado de energia, empregos, projetos e outros assuntos microeconômicos do Brasil. Nossas informações sempre são direto das fontes e atualizadas. Acesse o Nosso Telegram aqui.

Tags:
Paulo Nogueira
Com formação técnica, atuei no mercado de óleo e gás offshore por alguns anos. Hoje, eu e minha equipe nos dedicamos a levar informações do setor de energia brasileiro e do mundo, sempre com fontes de credibilidade e atualizadas.