O petróleo não vai desaparecer tão cedo do mundo

O petróleo não vai desaparecer tão cedo do mundo
 

Muitos questionam se haverá petróleo o suficiente para abastecer o mundo ou se o conhecido ouro negro começa a dar sinais de queda na produção

O petróleo alimenta 99% dos veículos do mundo, ou seja, um terço de tudo o que usa eletricidade. Hoje a humanidade usa pouco menos de 100 milhões de barris por dia de óleo. Isso é suficiente para encher os tanques de armazenamento de quase 50 grandes navios de transportes de petróleo bruto, o maior tipo de embarcação de carga do mundo com comprimento de três campos de futebol. Ao preço atual do petróleo bruto de US $ 67 o barril, o mercado mundial de petróleo vale US $ 2,4 trilhões por ano, 14 vezes mais que o mercado de ouro, 21 vezes maior que o minério de ferro. O mercado do petróleo é quase quatro vezes mais do que todos os outros mercados de recursos naturais combinados.

A Ásia está impulsionando o consumo de petróleo

Ainda que explorado comercialmente por quase um século, o consumo de petróleo, apesar de todos os carros híbridos que você vê na rodovia, ainda estão aumentando. Ele cresceu 24% nos últimos 15 anos, mas esse crescimento não está vindo dos países desenvolvidos. Durante esse período, o consumo de petróleo dos EUA caiu de 20 milhões para 19,9 milhões de bpd. Na Europa o aumento é de 3,4%, para 15 milhões de bpd. Na Ásia a história é diferente, a China mais que dobrou seu consumo de petróleo nos últimos 15 anos, de 5,8 milhões de bpd para 12,8 milhões de bpd. A Índia viu seu consumo de petróleo disparar de apenas 2,3 milhões de bpd para 4,7 milhões de bpd no ano passado.

A demanda agora supera oferta

Com o aumento do consumo da Ásia, a demanda mundial por petróleo aumentou 6,9% em relação a 2014 e 2017, segundo a International Energy Agency (IEA). A oferta enquanto isso subiu 6,7% ao ano. No quarto trimestre de 2017 houve uma escassez de produção diária de 350 mil barris, também de acordo com o IEA. Naquele mesmo trimestre os preços do petróleo subiram 16,8 %. No futuro a IEA espera que a demanda global aumente para 104,7 milhões de bpd até 2023 – um aumento de 7% em relação aos níveis atuais. E metade desse aumento será impulsionado pela China e pela Índia, duas grandes economias que consomem muito mais petróleo do que produzem em casa, elevando suas importações a níveis recordes. De pouco mais de 8 milhões de bpd no ano passado, as importações de petróleo da China deverão atingir 10 milhões bpd até 2023. O aumento da China nas importações de petróleo por si só representará 30% do aumento da demanda global nos próximos seis anos. Espera-se que ultrapasse os EUA para se tornar o segundo maior importador de petróleo do mundo até 2023, com quase 5 milhões de bpd.

Empresa de hotelaria marítima fecha mais um contrato com a Petrobras

The following two tabs change content below.
Efraim Pereira

Efraim Pereira

Efraim Pereira, Cabo Frio, RJ, técnico de Mecanica e Estrutura Naval com mais de dez anos de experiencias no setor de Oléo e Gas no Brasil e no exterior como Especialista técnico em MWD/LWD e Hose Dunlop Oil & Marine.