Mineradora Samarco recebe do Ibama licença de operação para três minerodutos que ligam MG ao ES

Kelly
por
-
12-05-2020 10:14:15
em Logística e Transporte
Mineradora Samarco recebe licença de operação do Ibama para três minerodutos que ligam MG ao ES Mineroduto da empresa Samarco Mineração

Ibama concede licença operacional por 10 anos à Mineradora Samarco para três minerodutos que ligam municípios de Minas Gerais ao Espírito Santo

A Samarco, mineradora brasileira atualmente controlada através de uma joint-venture entre a Vale S.A. e a anglo-australiana BHP Billiton, divulgou nesta segunda-feira (11) que recebeu do Ibama a Licença de Operação de três minerodutos, para o transporte da polpa de minério de ferro entre os complexos de Germano, em Minas Gerais e de Ubu, Espírito Santo, de forma gradual, quando a empresa retomar integralmente suas operações.

Leia também

Aprovada pelo Ibama, a decisão tem validade por um período de dez anos e unifica as licenças dos três minerodutos da Samarco, bem como incorpora as torres de transmissão e as estações de bombas que já existem no decorrer do trajeto, anteriormente autorizadas pelo órgão estadual.

A licença dos minerodutos retrata um marco na história da mineradora, quando há exatamente 43 anos, “a Samarco iniciava efetivamente suas operações com a realização do primeiro batch transportado pelo mineroduto, de Ouro Preto até Anchieta, e realizava, posteriormente, o primeiro embarque no Porto de Ubu”.

Em outubro do ano passado, a mineradora Samarco recebeu a Licença Operacional Corretiva para retornar as operações em Germano-MG e, atualmente, concentra seus esforços na implementação de um novo sistema de disposição de rejeitos, com sistema de filtragem para empilhamento a seco de 80% do rejeito a ser gerado.

Mineradora Vale cancela afretamento de 25 VLOCs devido a inúmeras falhas dos navios

Seguindo a nova abordagem de gestão de risco da Vale, a mineradora decidiu pela eliminação ou substituição de 25 navios convertidos de VLCCs para VLOCs3 de sua frota, informou a empresa em seu relatório trimestral, divulgado no final de abril.

Os navios apresentaram falhas técnicas e serão retirados gradualmente por meio de rescisão antecipada ou alteração dos contratos de afretamento. Leia a matéria completa aqui.

Tags: