Licitação de Sondas do Consórcio de Libra entra em fase final

sondas do consorcio de libra
 

Falta pouco para conhecermos à quem o Consórcio de Libra afretará duas sondas para o Campo de Mero

Até o fim desta semana deveremos conhecer á quem o Consórcio de Libra afretará duas sondas para o Campo de Mero, operado pela Petrobras, em parceria com a Shell, Total, CNPC e CNOOC. A abertura de preços é aguardada com ansiosidade pelas postulantes Ensco, Ocean Rig, SeaDrill, Pacific Drlling e Maersk, logo após a divulgação da classificação comercial das empresas, a Petrobras, sem divulgar o preço, convocará as duas mais bem colocadas para negociar e só depois conheceremos a vencedora.

Desde outubro passado a Petrobras, logo após a entrega das propostas, vem trabalhando a parte jurídica e técnica com as empresas, a fim de aumentar a concorrência, a Petrobras, desta vez, não desqualificou ninguém previamente por pendências de documentação. A ansiosidade da espera deve se ao preço do afretamento, espera-se que a taxa venha alta e fique acima dos U$ 200 mil/dia, ou seja, acima do valor de mercado.

Se o Consórcio de Libra quiser prorrogar o prazo de afretamento, não está previsto, para nenhuma das 2 sondas, a cláusula de reajuste de tarifa, o prazo é de 550 dias, com opção de renovação de 815 dias, para a sonda 1 que tem o MPD e de 629 dias e mais 680 opcionais para a sonda 2.

Sistema MPD

Dezembro de 2019, essa é a data que as duas sondas do campo de Mero tem que estar operacionais e entregue ao consórcio de Libra, ambas terão que possuir 2 torres de perfuração, sendo que uma delas dotada de MPD (Managed pressure Drilling), sistema que controla precisamente o perfil de pressão anular em todo trajeto da zona (crítica) que esta sendo perfurada como também manter a pressão do fundo do poço constante, vem sendo muito usado devido a optimização do tempo na perfuração, obtendo assim maior eficiência e menor custo para o cliente com relação ao tempo de aluguel da sonda.

Clique aqui e leia mais sobre o reaquecimento do mercado offshore no Brasil.

Renato Oliveira

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships