Indústria naval: Construção de novas embarcações da Marinha, em estaleiros do Rio de Janeiro, pode abrir muitas vagas de empregos

Roberta Souza
por
-
01-06-2021 20:49:08
em Indústria Naval, Portos e Estaleiros
Construção – estaleiros – Rio de Janeiro – indústria naval – empregos Indústria naval/ Fonte: Reprodução

A construção de fragatas e navios-patrulha para a Marinha, nos estaleiros do Rio de Janeiro, anima Comissão Especial de Indústria Naval

Ontem (31/05), a Comissão Especial de Indústria Naval e Offshore da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), presidida pela deputada Célia Jordão, se animou com a expectativa de geração de empregos com a construção de fragatas e navios-patrulha para a Marinha nos estaleiros do estado. Tal possibilidade foi discutida durante a durante visita técnica à Emgepron e ao Cluster Tecnológico Naval. Veja ainda: Construção naval: Petrobras fecha contrato com a Keppel para a construção do FPSO P-78, que será instalado no pré-sal, na Bacia de Santos

Construção de novas embarcações para a Marinha nos estaleiros do Rio de Janeiro

Representantes da empresa pública do Rio de Janeiro, que faz a gestão de projetos de indústria naval, informaram que a Marinha precisa de 12 fragatas. Dessas, quatro já estão em construção no estado de Santa Catarina, com até 40% de contratação de conteúdo local. As demais obras poderão ser trazidas para o Rio de Janeiro, com potencial de geração de empregos no estado.

O diretor-presidente da Emgepron, almirante Edesio Teixeira, diz que tem a capacidade de inteligência e de produção, e que 90% do comércio acontece pelo mar. Segundo ele, trazer essas obras de construção de embarcações da Marinha para o Rio de Janeiro demanda um esforço conjunto entre eles e o Governo do estado. Teixeira diz que a economia do mar é fundamental para o desenvolvimento do Rio de Janeiro, que tem plena condições de se reestruturar para crescer.

Planos para a indústria naval no Rio de Janeiro

Segundo deputada Célia Jordão, o trabalho da comissão tem sido justamente fazer a interlocução do setor com o Governo, a fim de contribuir na elaboração de um plano de gestão regional que impulsione a economia marítima no estado do Rio de Janeiro. Jordão diz que, na visita ao Cluster Tecnológico, viu boas perspectivas da indústria naval com a construção dessas novas fragatas e navios-patrulha, e que tudo isso vem ao encontro de tudo que a comissão busca, que é a geração de empregos e renda para o estado do Rio de Janeiro.

O almirante de esquadra Ilques Barbosa Júnior, ex-comandante da Marinha, diz que não tem mais tempo a perder, e ficar paralisados é um risco enorme para o desenvolvimento do Brasil. Segundo ele, é uma situação de segurança econômica. O almirante diz que é preciso haver investimento em ciência, educação e presença no Rio de Janeiro para mudança desse momento, pois, do contrário, as grandes empresas vão continuar indo embora. Com isso, sem mobilidade, sem segurança e sem investimentos, não têm empregos.

Veja ainda: Indústria da construção naval tentará diálogo com o Governo Federal para retomar contratos Petrobras e voltar a gerar empregos

Um grupo de profissionais experientes no setor se reuniu e criou o Projeto Emerge, que propõe uma revitalização no setor da indústria naval. A ideia será apresentada ao Governo Federal e promete virar a página da Lava Jato, retomando as obras de construção nos estaleiros e, por conseguinte, gerando muitas vagas de empregos, inclusive no ramo do petróleo e gás, se a Petrobras voltar a fazer pedidos no Brasil.

Apesar de contar com excelentes profissionais, o Brasil, atualmente, enfrenta uma crise no setor naval e temos que nos deparar com estaleiros prontos para trabalhar, mas que se encontram praticamente parados e/ou largado às traças. A construção das embarcações que poderiam ser feitas aqui, estão sendo realizadas em Singapura e na Coreia.

Tags:
Roberta Souza
Engenheira de Petróleo, pós-graduanda em Comissionamento de Unidades Industriais, especialista em Corrosão Industrial. Entre em contato para sugestão de pauta, divulgação de vagas de emprego ou proposta de publicidade em nosso portal. Não recebemos currículos
fwefwefwefwefwe