Indústria de energia eólica brasileira precisará contratar e treinar mais de 3 mil profissionais para atuar no mercado de energia renovável até o ano de 2025

Valdemar Medeiros
por
-
03-06-2021 13:09:30
em Energia Renovável
Energia eólica - Industria - energia renovável - profissionais Torres de energia eólica – Créditos – divulgação Votorantim

Um relatório feito pela GWEC afirma que será necessário treinar e contratar, só no Brasil, cerca de 3 mil profissionais para a indústria de energia eólica até 2025. No mundo todo serão mais de 480 mil pessoas contratadas para o mercado de energia renovável

De acordo com um relatório feito pelo GWEC, divulgado nesta terça (01), a indústria de energia eólica precisará treinar e contratar cerca de 480 mil pessoas, nos próximos cinco anos, para atender à demanda do mercado global de energia renovável. Somente em território brasileiro, são mais de 3.737 profissionais que a indústria de energia eólica deve treinar e contratar, para que seja sustentada a instalação programada de 9,7 GW adicionais da energia renovável onshore até o ano de 2025.

Leia também

Entenda o relatório sobre a indústria de energia eólica

Tendo em vista que o Brasil é líder em energia eólica na América Latina, treinar e contratar profissionais para a energia renovável não será um grande problema. Outra grande vantagem do país é estar na dianteira nas Américas em crescimento de centros de treinamento certificados e também no grande volume e profissionais já sendo treinados.

No ano de 2020, a energia renovável cresceu cerca de 101% e 13 instituições que fornecem treinamentos certificados conseguiram formar mais de 5.500 pessoas, de acordo com o relatório. No documento, também é destacado o crescimento da indústria de energia eólica offshore no país, que pode ter seu primeiro projeto de demonstração ainda nesta década.

O treinamento padronizado global é de suma importância para que seja garantido a segurança e a saúde da força de trabalho e também, salvaguardar a sustentabilidade da indústria de energia eólica. Vale ressaltar que nessa conta não estão incluídos os empregos que são gerados em fabricações, aquisições e transporte.

O treinamento da GWO para os futuros profissionais

Nos dias atuais, o mercado de treinamento da GWO, que é considerado o padrão para treinar a força de trabalho da energia eólica, é capaz de suportar a qualificação de cerca de 200 mil trabalhadores até o fim de 2022. Sendo assim, o relatório afirma que esse ritmo será insuficiente para formar e contratar outros 280 mil trabalhadores necessários para a instalação dos 490 GW, que estão previstos na capacidade de energia eólica nos próximos cinco anos.

Dos 480 mil trabalhadores necessários no mundo todo, apenas 172 mil irão atuar no mercado de energia eólica offshore os outros 308 mil atuarão nos projetos da energia renovável onshore, gerando muitas vagas de emprego.

GWEC, GWO, RCG se pronunciam

Para o CEO da GWEC, Bem Backwell, será necessário que os países se preparem agora, para que seja garantido a força de trabalho do futuro. Ele ressalta que se forem implantados novos projetos, as necessidades de treinar e contratar será bem maior do que a prevista no relatório.

Já o CEO da GWO, Jakob Lau Holst, afirma que há muitos debates sobre a quantidade de potência instalada em energia eólica que será necessária para alcançar emissões zero, mas há pouca discussão sobre a força de trabalho que será necessária para a construção desses projetos na indústria de energia renovável.

Segundo o diretor do RCG, Ed Maxwell, em mercados como a China e Estados Unidos, que são grandes, o aumento do treinamento pode gerar diversas oportunidades de trabalho e também aumentar exponencialmente a produtividade, através o reconhecimento dos padrões.

Tags:
Valdemar Medeiros
Formado em Segurança do trabalho, especialista em marketing de conteúdo em conjunto de ações de SEO e Universitário de Publicidade e Propaganda.