Gás natural tem potencial para assumir protagonismo energético no país, diz especialista do setor

Gás natural tem potencial para assumir protagonismo energético no país, diz especialista do setor de energia

O gás natural pode impulsionar a segurança energética do Brasil e novos projetos devem ser criados para geração de emprego e renda

Devido ao aumento da oferta de gás natural e a uma combinação de fatores econômicos, regulatórios e ambientais, a tendência é que esse combustível tenha sua participação na matriz energética do país ampliada de forma significativa, segundo o ex-Diretor de Refino e Gás Natural da Petrobras, Jorge Celestino Ramos, em reportagem ao Poder 360. Veja também que a ANP avalia autorizar delivery de combustíveis, mas postos de gasolina se mostram contrários.

Você também pode conferir

De acordo com Ramos, a criação de novos projetos de gás natural liquefeito (GNL) no Brasil faz parte de um cenário em que o gás natural possivelmente assumirá um papel protagonista no país, por 3 motivos principais.

O primeiro deles seria o aumento da produção nacional, umas vez que o Estado vive perspectivas de incremento na produção de gás natural, principalmente nos campos offshore, nas Bacias de Santos e Campos, e também em Sergipe.

A segunda razão está vinculada ao Novo Mercado de Gás, iniciativa do governo brasileiro anunciada em meados de 2019, cujo objetivo principal é promover a oferta de gás natural a preços competitivos com medidas importantes como a abertura do mercado.

O terceiro e último motivo, segundo Ramos, é a necessidade de assegurar a segurança energética, visto que o mundo vive nos dias atuais uma transição para uma matriz de energia com ampliação do uso de fontes renováveis, e o gás é aceito como uma energia de base e promissora.

Diante desses fatores, Jorge afirma que é legítimo supor que o gás natural vá ampliar sua participação na matriz nacional, atualmente com um percentual de 12,9% na matriz nacional.

O desafio, no entanto, passa a ser o de planejar esse crescimento de oferta e demanda a preços competitivos sem comprometer o fornecimento contínuo. É primordial, sobretudo, que todo o processo seja realizado por segurança jurídica e regulatória, para atrair os investimentos em infraestrutura para cada região de interesse.

Só dessa forma será possível gerar mais empregos, renda e receitas para os municípios e Estados, segundo o especialista.

TENHA UM CV ESPECÍFICO PARA O SETOR DE ÓLEO E GÁS

Você gostaria de ter um currículo desenvolvido especialmente para uma vaga no meio marítimo, em plataforma, offshore ou cabotagem? Adquira seu currículo offshore formatado e específico aqui📄
Kelly Angelim

Sobre Kelly Angelim

Engenheira de Petróleo especialista em Eficiência Energética e pós-graduada em Engenharia Civil; Possui experiência em atividades na indústria petrolífera onshore.