Equinor e Açu Petróleo assinam contrato para ship to ship

Porto do Açu
 

Equinor usará o terminal no Porto do Açu para escoar sua produção de petróleo do campo de Roncador, na Bacia de Campos

A norueguesa Equinor, reforçando suas atividades e investimentos no país, assinou com a Açu Petróleo um contrato que a permitirá executar operações ship to ship no Terminal de Petróleo (T-OIL) da companhia no Complexo do Porto do Açu, em São João da Barra (RJ).
O contrato tem a duração de três anos, entrará em vigor em janeiro de 2020 e permitirá que a estatal norueguesa exporte a maior parte da produção de seu campo de Roncador, através de navios Suezmax e VLCC (Very Large Crude Carrier), se utilizando do Terminal.

O Terminal T-oil da Açu Petróleo é controlado por uma joint venture entre a Prumo Logística e a alemã Oiltanking, que já possuem como clientes a Petrogal e a Shell.
Este contrato é de extrema importância para o planejamento estratégico da Equinor que não tinha um terminal para realizar suas operações, ao contrário da Petrobras, que possui terminais próprios como os da baia da Ilha grande (Tebig), em Angra dos Reis e o Terminal de São Sebastião (SP).

Operação mais segura

As operações “ship to ship underway” são as mais utilizadas pela petroleiras privadas, mas a transferência de Petróleo acontecem com os navios navegando.
Já as transferências “ship to ship” que serão realizadas no Porto do Açu serão bem mais seguras, com redes de proteção ambiental, em águas abrigadas e com os navios atracados.
Segundo Victor Snabaitis Bomfim, presidente da Açu Petróleo, essa questão da segurança e do meio ambiente, além da localização privilegiada do Porto do Açu foram primordiais para a escolha da Equinor.

O presidente da Açu Petróleo destacou também que a expectativa, para este ano, é dobrar o volume de óleo movimentado, que no ano passado foi de aproximadamente 40 milhões de bopd.
A capacidade atual do Terminal é de movimentar até 1,2 milhão de bopd e registrando recorde de operações no ano passado.

A Equinor já se utiliza da estrutura do Porto do Açu, como por exemplo, a infraestrutura da MFX (Joint venture entre a BP Energy e Prumo focada no armazenamento e movimentação de combustíveis) e também a base de apoio logístico da Brasil Port, do grupo Edison Chouest.

Gostaria de conhecer também outros investimentos da estatal norueguesa no Brasil ? Ela adquiriu participação na Scatec Solar e aumentou sua carteira de serviços no Brasil e nas Américas ! Leia aqui a matéria completa !


Baixem também o aplicativo  Empregos e Noticiais CPG para Android na Playstore clicando aqui. Nele postamos informações e oportunidades exclusivas todos os dias.

Gostaria de compartilhar uma foto conosco da sua área de trabalho, vagas de empregos ( com as fontes), sugestões de pautas ou alguma outra informação importante do ramo de energia e empregabilidade? Entre em contato com a gente no Messenger aqui.

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships