Em ritmo de retomada, setor de petróleo e gás volta a contratar

Em ritmo de retomada, setor de petróleo e gás volta a contratar

novembro 9, 2018 Off Por Renato Oliveira

O mercado de petróleo e gás no Brasil dá sinais de recuperação já neste final de ano e espera abrir 116 mil vagas

A tão esperada retomada do setor de petróleo e gás no Brasil parece começar a dar sinais, aliada a alta do preço do barril do Petróleo (está sendo cotado a U$ 70) e ao calendário de leilões, cada vez mais cheio, as empresas do setor começam a se preparar para as contratações e a nuvem negra que pairava sobre a indústria naval e o mercado offshore parece, enfim se dissipar, fazendo com que o movimento de contratações tenham sido, neste quarto trimestre, 20% maior que o mesmo período do ano passado e para o ano que vem o aumento esperado é de 30%, movimento este liderado pelas empresas vencedoras dos leilões.

Previsões animadoras

Existem hoje 5 plataformas em concorrência e para 2019 espera se pelo menos outras 5 de empresas como a Petrobras, Equinor e Shell, as contratações devem ter o Rio de Janeiro como referência, já que teremos além do mercado de recuperação de campos maduros na Bacia de Campos, a construção do COMPERJ, a demanda maior por profissionais devem ser nas empresas privadas, que saíram vencedoras nos leilões de petróleo realizados este ano, como Exxon, Chevron, Equinor, Wintershall, QPI, CNOOC, Petrogal e Ecopetrol.

Muitas empresas, como a Aker Solutions, uma das maiores fornecedoras de equipamentos e serviços para o setor, já contratou 300 pessoas este ano e precisará de mais 500 pessoas para atender o contrato de manutenção de plataformas na bacia de Campos, ganho junto a Petrobras.

A viabilidade de muitos contratos devido a alta do Petróleo fizeram também as petroleiras entrarem em fase de contratações, a Equinor, um bom exemplo, conta atualmente com 400 funcionários e está com 34 vagas em aberto, além do programa de trainees com previsão de contratação de mais 16 pessoas, nessa mesma onda estão as prestadoras de serviço, como a PetroRio, que já contratou 30 pessoas este ano e investiu R$ 200 milhões no campo de Polvo , na Bacia de Campos, o que deve gerar a perfuração de mais 5 poços e movimentar a cadeia de fornecedores e gerar empregos e como o setor de petróleo e gás é de longo prazo, estima se até 2022 até 400 mil empregos. Veja como a politica pode ser decisiva para a concretização dos empregos citados acima e da recuperação da indústria. Clique aqui e não deixe de conferir !