Eletrobras prioriza Usina de Angra 3 no seu Plano de Negócios 2019-2023

Angra 3 é prioridade da Eletrobras
 

Plano de Negócios 2019-2023 da companhia tem investimentos de R$ 30,1 bilhões, sendo R$ 12 bilhões na Usina Nuclear de Angra 3.

Depois da Petrobras divulgar no início do mês seu Plano de Negócios 2019-2023, agora foi a vez de outra gigante estatal fazer o mesmo. A Eletrobras lançou na última sexta-feira (21/12), o seu Plano Diretor de Negócios e Gestão (PDNG) referente ao período 2019-2023. A empresa planeja um investimento total de R$ 30,1 bilhões para os próximos cinco anos, sendo assim distribuídos: em projetos próprios de geração (R$ 16,9 bilhões), transmissão (R$ 9,5 bilhões) e infraestrutura (R$ 1,7 bilhão) e R$ 1,9 bilhão em participações da empresa.

O investimento de destaque, que por si só já consumirá cerca de R$ 12 bilhões, é o projeto de retomada das obras da Usina de Angra 3, que será uma das prioridades do futuro ministro das Minas e Energia, o Almirante Bento Albuquerque. O investimento será através da Eletronuclear e constaria com o apoio da Caixa e do BNDES, a intenção do PDNG 2019-2023 é “viabilizar a conclusão do empreendimento por meio de realização de chamada pública internacional, visando selecionar investidor global com capacidade técnica, financeira e de gestão”.

Em relação aos investimentos de participações da empresa, considera-se a incorporação de empresas nos quais as subsidiárias do grupo Eletrobras tenham participações majoritárias.

Outro ponto claro também para o novo governo é concluir até o final de 2019 o programa de desinvestimento iniciado em 2018, com a venda de ativos que não sejam considerados estratégicos, a ideia é aumentar a receita e recuperar a capacidade de investimento.

Visão da empresa

A Eletrobras que terminar o período, ou seja, terminar 2023, como uma das três maiores empresas globais de energia limpa e estar entre as dez maiores do mundo em energia elétrica. Para tal, conta com o sucesso de iniciativas operacionais, tais como, o corte de pessoal, desligamento de 2.187 empregados em cinco anos através do Plano de Demissão Consensual, o que geraria uma economia de R$ 574 milhões por ano. O PDNG prevê também a restruturação societária de “controladoras regionais”, como a Eletrosul, CGTEE, Eletronorte e Amazonas GT.

Você sabia que o primeiro submarino do Prosub já foi ao mar e que programa conta com a construção do primeiro submarino nuclear brasileiro ? Conheça os detalhes aqui !

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki) inspecionando e acompanhando técnicas de fabricação e montagem de estruturas/tubulações/outfittings(acabamento avançado) para casco de Drillships