Começa mobilização para Pernambuco receber novas centrais nucleares

Pernambuco

Deputado estadual apresentará emenda de mudança na constituição de Pernambuco visando a permissão para a construção de usinas nucleares no estado

O estado de Pernambuco vai entrar de vez na luta por sediar as novas centrais nucleares brasileiras. Logo no primeiro mês de mandato, o presidente Bolsonaro deixou claro que a intenção do novo governo era terminar Angra 3 e construir até 8 Usinas Nucleares.
Assim, o deputado estadual Alberto Feitosa (SD), liderando um grupo de parlamentares, vai propor a mudança da constituição do estado nordestino, que proíbe em seu artigo 216, a instalação de usinas nucleares em seu território.

A iniciativa vem depois do estudo da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), ligada ao Ministério das Minas e Energia, que mapeou o município de Itacuruba (PE) como potencial localidade para a construção das novas centrais nucleares.
O polêmico assunto tem despertado a intenção de um debate junto a sociedade, visto que boa parte da população do estado de Pernambuco é contra a instalação deste tipo de geração de energia suas terras.

A proposta

Inicialmente a proposta do parlamentar é realizar um amplo debate sobre o projeto no formato de audiências públicas ou até mesmo em rádios locais, para que esclarecimentos sejam feitos à população.
Além de conscientizar a população, não só do município, mas de todo o estado sobre a importância econômica da obra, é dar conhecimento da segurança do projeto através de visita às centrais nucleares de Angra dos Reis.

A visita se estenderia também ao hospital e às escolas patrocinadas pelas usinas da Eletronuclear, para que todos pudessem perceber os benefícios que um empreendimento deste porte traria ao estado de Pernambuco.

Segundo o deputado Alberto Feitosa, que é apoiado pelo deputado Antônio Fernando (PSC), que é engenheiro e tem formação na área de energia, não se pode ignorar um empreendimento que vai custar R$ 20 bilhões e vai deixar 25% desse total para o estado. “Seria a mudança total de vida da região”, declarou ele.

“A região de Itacuruba tem uma das menores rendas per capita do Brasil e talvez da região da América do Sule uma usina nuclear pode operar por 60 ou 80 anos. Estamos falando em até oito gerações, que terão toda a possibilidade de se reestruturar”, completou o deputado.

A intenção do parlamentar é nesta semana, apresentar um projeto de emenda constitucional (PEC) para alterar o artigo 216 da Constituição de Pernambuco.
A pressa é tentar evitar que outros estados como Bahia e Alagoas, tomem a frente do projeto, já que ambos já sinalizaram interesse em receber as centrais nucleares.

Leia também ! Usiminas investirá 200 milhões em alto-forno e criará 330 empregos !

Curso de Salvatagem + HUET

Renato Oliveira

About Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)