CADE concede à CSN aval necessário para aquisição da Metalgráfica Iguaçu, como forma de impulsionar a produção de embalagens metálicas

Ruth Rodrigues
por
-
27-04-2022 15:46:52
em Mineração
O aval que a CSN recebeu do CADE para a aquisição da metalgráfica Iguaçu é o que a empresa necessitava para a compra da companhia, mas terá que repassar parte de suas ações, como forma de equilibrar o negócio e impulsionar a produção de embalagens Foto: ANT/FOLHAPRESS/JC.




O aval que a CSN recebeu do CADE para a aquisição da Metalgráfica Iguaçu é o que a empresa necessitava para a compra da companhia, mas terá que repassar parte de suas ações, como forma de equilibrar o negócio e impulsionar a produção de embalagens

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) concedeu o aval para a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), nessa última segunda-feira (25/04), para a aquisição e incorporação da Metalgráfica Iguaçu, fabricante de embalagens metálicas. Além disso, a CSN terá que repassar parte de suas ações para os acionistas da empresa, uma vez que o Cade busca expandir a produção da Metalgráfica e trazer uma equiparação na transação. 

CSN consegue realizar aquisição e incorporação da Metalgráfica Iguaçu após concessão de aval realizada pelo CADE

Em uma estratégia um tanto arriscada, porém benéfica em relação à produção a longo prazo, o Cade concedeu à CSN o aval necessário para a aquisição e incorporação da Metalgráfica Iguaçu durante esta última semana. No entanto, a CSN também terá que  ceder aos atuais acionistas da Iguaçu um percentual de ações que será aprovado em assembleia geral extraordinária das companhias para equiparar a transação aprovada pelo conselho nesta segunda-feira. 

A CSN é uma das maiores atuantes no segmento de produção industrial e siderurgia no Brasil, com empreendimentos que vão desde a extração do minério de ferro até a produção e comercialização de uma gama diversificada de produtos de aço, por meio de áreas de negócios próprias e de suas controladas. Enquanto isso, a Metalgráfica Iguaçu atua na fabricação de embalagens metálicas e detém, como sua principal controladora, a Merisa Engenharia e Planejamento, e é uma das grandes referências dentro desse segmento no Brasil. 

Assim, a aquisição da Iguaçu por parte da CSN é uma forma de garantir uma expansão na produção dos materiais, além de outros grandes pilares da transação, como manter um fabricante no mercado de embalagens metálicas e, consequentemente, a demanda por folhas metálicas; adquirir linhas de produção de embalagens metálicas mais modernas e produtivas; e garantir a retomada e o crescimento da atividade produtiva da Iguaçu. Assim, o Cade conseguiu verificar esses objetivos como benéficos para ambas as partes da transação para a aprovação do aval liberado nesta semana para a aquisição e incorporação da companhia. 

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica realizou grandes análises em relação aos benefícios da aquisição da Iguaçu por parte da CSN antes de realizar a liberação do aval para a incorporação

Além de ser importante para o desenvolvimento de uma série de investimentos na produção das embalagens metálicas e manter o segmento em aquecimento no Brasil, a aquisição da companhia por parte da CSN também é considerada pelos acionistas da Iguaçu como imprescindível para sanear as contas e evitar o endividamento. Dessa forma, a metalúrgica conseguiu um grande ponto de defesa para a aprovação do aval necessário para a realização da transação entre as empresas. 

Mas esse não foi o único motivo que levou à aprovação e a Superintendência-Geral do Cade verificou existirem fatores que geram pressões concorrenciais de forma a tornar improvável o exercício de poder de mercado por parte das empresas envolvidas. Com isso, se tornaria quase impossível aprovar o aval para a compra da empresa com restrições, o que levou à rápida liberação por parte do Cade para a CSN durante esta última semana.

Por fim, caso não haja nenhuma interrupção no processo por nenhuma das partes ao longo de um prazo de 15 dias, as decisões da Superintendência-Geral terão caráter terminativo e as operações estarão aprovadas em definitivo pelo órgão antitruste, garantindo assim a finalização do processo de incorporação da Iguaçu por parte da CSN.

Sites Parceiros

Publicidade




Tags:
Ruth Rodrigues
Formada em Ciências Biológicas pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), atua como redatora e divulgadora científica.