Brasil será o segundo em taxa de crescimento de produção de petróleo em 2019

Relatório da OPEP põe Brasil como segundo em 2019

Segundo a OPEP o Brasil será o segundo país em crescimento da produção de Petróleo fora do cartel

No relatório mensal da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo), divulgado nesta quarta-feira (12/12), o Brasil aparecerá, em 2019, com a segunda maior taxa de crescimento entre os produtores que não fazem parte de seu quadro de associados. O Brasil ficará atrás apenas dos EUA, e se juntará a Russia e o Reino Unido, que são considerados os impulsionadores do crescimento para 2019, previu também o relatório.
Por outro lado, é previsto que o México e a Noruega terão declínios consideráveis. Está estimado pelo órgão, que o Brasil terá uma produção de 3,63 milhões de barris por dia (bpd) em 2019, um aumento de 0,37 milhões, se comparado com 2018.

A OPEP divulgou que o ano de 2018 não fez jus as expectativas mediante ao bom começo de ano da economia mundial. Dentro da OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), os EUA cresceram com uma taxa muito mais elevada do que outras economias devido a um grande estímulo fiscal recebido, e também em função da diversificação do crescimento mundial, com altos índices para Índia e China e não tão altos para Brasil e Rússia.

O aumento da produção, segundo a OPEP, para o ano que vem é creditado á alta dos investimentos em petróleo nos EUA e o crescimento esperado nos novos projetos do Brasil. A previsão de crescimento do Brasil e da Rússia não mudou se comparada ao mês anterior, a do Brasil continuou em 1,1% em 2018 e 1,8% em 2019 e a da Rússia em 1,6% em 2018 e 1,7% em 2019. Tudo vai depender das ações políticas dos governos, tanto como do aumento de preço das commodities.

Aumento da demanda

As expectativas de crescimento da demanda de Petróleo na América latina para este final de 2019 e para 2019 são iguais as projeções do mês passado, com uma perspectiva um pouco melhor da economia em 2019, assim o Brasil deve liderar o crescimento do consumo de petróleo, com um aumento de 20 mil bpd em 2018 para 53 mil bpd em 2019.
Em outubro de 2018, o consumo no Brasil aumentou 1% em comparação ao mesmo mês do ano passado, ou seja, 22 mil bpd, ficando a demanda total de petróleo em 2,74 milhões de bpd em outubro.

A maioria dos produtos teve aumento mas acabou se contrabalanceando com as quedas do consumo da gasolina, que perdeu espaço para o etanol e para o diesel.

O Mega leilão do Pré sal deve ficar para junho do ano que vem. leia aqui !]

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)