Brasil arrecada R$ 848 milhões em 2019 com contratos de petróleo e gás no pré-sal

Brasil arrecada R$ 848 milhões em 2019 com contratos de petróleo e gás no pré-sal

Receita com projetos de petróleo e gás no pré-sal brasileiro representa 47,5% a mais que 2018 e gera expectativas de crescimento no setor

A empresa vinculada ao Ministério de Minas e Energia, Pré-Sal Petróleo (PPSA), anunciou nesta última sexta-feira (10) o recolhimento de aproximadamente R$ 848 milhões para o Brasil em 2019. Esse total demonstra um desempenho 47,5% maior no ano passado em comparação com 2018. Veja também que haverá 3 incríveis leilões do petróleo em 2020 e serão ofertados 871 blocos de exploração.

Você também pode conferir

O montante é proveniente de fatores determinantes como a comercialização da parcela da União nos contratos de partilha de produção de petróleo e gás e a Equalização de Gastos e Volumes (EGV) das Jazidas Compartilhadas nos campos de Sapinhoá, Tartaruga Verde e Lula, do pré-sal.

Segundo o diretor-presidente da PPSA, Eduardo Gerk, este é o início de uma curva ascendente com expectativas de crescimento contínuo para os próximos anos.

“Em 2018, iniciamos a comercialização para a União da produção de petróleo de Mero e de gás do Entorno de Sapinhoá. Em 2019, acrescentamos a produção de petróleo de Sapinhoá e o gás de Lula. Seguiremos comercializando a produção de outros campos nos próximos anos. Fizemos um estudo que estima uma receita para a União superior a R$ 10 bilhões por ano, a partir de 2025. Em 2028, a expectativa é superar R$ 30 bilhões por ano e chegar a 2032 com uma receita anual de R$ 110 bilhões”, informou Eduardo.

A companhia Pré-Sal Petróleo é responsável por gerir os contratos de partilha e pela comercialização de toda a produção de petróleo e gás do Brasil e pela representação da União nos Acordos de Individualização da Produção.

Kelly Angelim

About Kelly Angelim

Engenheira de Petróleo especialista em Eficiência Energética e pós-graduada em Engenharia Civil; Possui experiência em atividades na indústria petrolífera onshore e vivência em áreas administrativas e de pesquisa científica.