Aker quer aumentar participação no Brasil

Aker

Fabricante norueguesa de equipamentos submarinos, engenharia e manutenção, a Aker visualiza campo de crescimento no Brasil conforme declarações de seu presidente brasileiro

A Aker Solutions quer expandir o volume de negócios no Brasil e para isso estudar aumentar ainda mais a fatia de 10% que o país representa em relação ao faturamento mundial da empresa.
A empresa investiu nos últimos anos R$ 1 bilhão no país e declarou, através de seu presidente mundial, Luis Araújo, que o Brasil é um dos focos principais visando o crescimento da empresa em 2019.

Brasileiro e carioca, o primeiro presidente não norueguês da companhia, declarou também que tal decisão é baseada na capacidade produtiva da empresa e em seus 4 mil funcionários existentes no Brasil.
O Brasil só perde, em número de funcionários da empresa, para a Noruega e Reino Unido.

Segundo o brasileiro, no cargo desde 2014, a empresa está no país há quatro décadas e acredita na recuperação econômica da indústria de óleo e gás tanto que investiu na compra da paranaense CSE, no período da crise do mercado, o que só demonstra compromisso de longo prazo com o país.

Mercados no Brasil

A Aker enxerga três grandes áreas de desenvolvimento no Brasil, a primeira é a alta demanda das petroleiras por equipamentos submarinos, cuja expectativa para os próximos dois anos é de crescimento devido ao começo da exploração dos blocos licitados nos últimos anos.
A segunda é a área de manutenção de plataformas, cujos contratos tendem a aumentar e por ser a expertise da CSE Mecânica e Instrumentação, empresa que adquiriu a totalidade das ações no fim do ano passado.

Vale lembrar que a CSE venceu uma licitação de contrato de manutenção em 12 plataformas da Petrobras na Bacia de Campos e venceu também recentemente dois contratos de manutenção de tanques de armazenamento para a petroleira.
E o terceiro filão que a empresa enxerga no Brasil é o de exportação de equipamentos produzidos nas unidades do grupo no Brasil, entre elas uma unidade inaugurada em 2016 em São José dos Pinhais (PR), que está entre uma das mais modernas fábricas de equipamentos submarinos do mundo.

Reforçando o compromisso com seus clientes, em março a empresa entrega os primeiros, de um total de 47, sistemas de controle à Equinor para os três projetos da empresa no Mar do Norte. Este contrato de exportação de equipamentos tem se saído bem positivo para a empresa, pois a Equinor, ganha créditos de conteúdo local.

A Aker ainda enxerga no Brasil, chances de fornece cabos elétricos dinâmicos para o setor de energia eólica offshore que ainda está engatinhando no país, mas que está no radar da empresa.

Quer entender porque esta empresa está focando no mercado brasileiro ? 8 dos 10 maiores Projetos Offshore da América do Sul serão no Brasil ! Clique aqui e leia a matéria !

.

Sobre Renato Oliveira

Engenheiro de Produção com pós-graduação em Fabricação e montagem de tubulações com 30 anos de experiência em inspeção/fabricacão/montagem de tubulações/testes/Planejamento e PCP e comissionamento na construção naval/offshore (conversão de cascos FPSO's e módulos de topsides) nos maiores estaleiros nacionais e 2 anos em estaleiro japonês (Kawasaki)