A construção do Terminal Portuário em Macaé já tem uma estimativa de inicio

A construção do Terminal Portuário em Macaé já tem uma estimativa de inicio

outubro 3, 2018 Off Por Paulo Nogueira

Depois de meses sem notícias sobre o Terminal Portuário, A EBTE Engenharia deu entrada nos órgãos ambientais e a audiência publica será marcada em 15 dias

O projeto de construção do Terminal Portuário em Macaé (Tepor) dá mais um importante e definitivo passo neste mês de outubro para a alegria de seus munícipes e a economia da cidade.  A EBTE conseguiu atender as exigências ambientais para a instalação do empreendimento e deu entrada no INEA e daqui a pouco tempo, aproximadamente em 15 dias, já teremos uma data para à audiência publica, segundo a instituição.

Além do Terminal Portuário, o projeto também prevê uma área de armazenamentos de petróleo ou seus derivados e uma unidade de Processamento de Gás Natural. Lembrando que a sociedade Macaense poderá participar desta Audiência, quando a data e o local do evento for divulgado, o Click Petróleo e Gás notificará nossos seguidores e leitores.

Em maio deste ano, o prefeito de Macaé, Dr. Aluízio, desapropriou área de 6.448.378,97 metros quadrados de extensão que servirá para a construção da Rodovia Transportuária que vai ligar a área do Terminal Portuário de Macaé (Tepor), no São José do Barreto, à RJ-168, conectando à área central do município e à BR-101

Início das obras

José Eduardo Carramenha, consulto do Tempor, diz que estes novos parâmetros  permitem estipular uma data para o início do empreendimento: “O novo cronograma é o seguinte: em 15 dias o INEA deve agendar a Audiência Pública. Após esta análise, a licença prévia pode ser emitida em 90 dias. E, cumpridas as exigências após esta avaliação, a licença de instalação, que permite o início das obras, pode ser emitida em outro prazo de três meses”, explica Carramenha.

As especificações do projeto do Terminal Portuário em Macaé incluem dois terminas com funções distintas. O primeiro delas será destinado a manobras com petróleo e terá na sua composição dois calados com pelo menos 27 metros profundidade. Ele vai abrigar navios de grande porte, como por exemplo um ULCC ( Vejam um modelo deste navio  aqui), que todos os dias poderá bombear cerca de 2 milhões de barris de petróleo. Já o terminal número 2 movimentará líquidos e fará atividades de apoio offshore. haverá uma ponte de 4 km em terra que se estenderá mar à dentro com 16 metros de profundidade para operações ship-to-ship.

Macaé corre contra o tempo para recuperar o tempo perdido para recuperar investimentos que poderiam ter sido feitas à muito tempo  atrás em épocas de bonança, mas agora enfrenta algumas dificuldades devido a forte recessão econômica dos últimos 4 anos, sem falar que o Porto do Açú está com projetos em andamento para construção de um heliporto, que vai transferir algumas operações da cidade para São João da Barra.